ad

A Alfândega da Receita Federal em Foz do Iguaçu realizou, no primeiro semestre de 2019, diversas operações em agências postais na região oeste do Paraná as quais resultaram na apreensão de grande quantidade de mercadorias irregulares.

As operações foram realizadas em agências postais localizadas em Foz do Iguaçu, Guaíra, Toledo, Medianeira, Matelândia, Umuarama, São Miguel do Iguaçu, Juranda e Céu Azul, além de ações conjuntas com a Receita Federal de Cascavel. Neste 1º semestre de 2019 foram realizadas 51 operações que resultaram na retenção de 9.766 encomendas/volumes que totalizaram aproximadamente R$ 4.052 milhões, sendo R$ 1.760 milhão no primeiro trimestre e R$ 2.292 milhões no segundo trimestre.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O mês de maio foi o que mais apresentou uma quantidade expressiva de valores retidos, com um total de R$ 1.240 milhão, seguido de abril com R$ 812 mil e janeiro com R$ 795 mil.

As retenções realizadas no 1° semestre de 2019 registram um aumento de aproximadamente 4,3% em relação ao 1° semestre de 2018. Já a quantidade de volumes retidos diminuiu 7,5% em relação ao ano passado, foram 10576 volumes retidos no primeiro semestre de 2018.

As retenções foram motivadas pela não comprovação de importação regular das mercadorias, seja pela falta de nota fiscal ou outro documento comprovatório de regularidade fiscal, como pela apresentação de documentos comprobatórios suspeitos de serem falsos ou inidôneos. Todos os volumes foram trazidos para a sede da Alfândega da Receita Federal em Foz do Iguaçu para verificação minuciosa tanto do conteúdo quanto da documentação referente à postagem.

A Receita Federal disponibiliza um telefone de contato para denúncias, de forma anônima, por meio do número (45) 9 9152-2036.

Essa iniciativa está inserida no âmbito do PPIF (Programa de Proteção Integrada de Fronteiras), instituído pelo Decreto nº 8.903/2016, tem como diretrizes a atuação integrada e coordenada dos órgãos de segurança e de fiscalizações atuantes nas fronteiras, e como foco, o fortalecimento da prevenção, do controle, da fiscalização e da repressão aos delitos transfronteiriços, como contrabando, descaminho, tráfico de drogas, armas e medicamentos, entre outros.

Portal Guaíra via Assessoria