(Foto: PF/Divulgação)

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira (14) a Operação Buena Vita que tem como alvo uma em face de Organização Criminosa que atuante no interior dos estados de Mato Grosso do Sul e Paraná, especializada no descaminho de produtos eletrônicos, principalmente smartphones.

A investigação começou após uma denúncia anônima ao Ministério Público Federal relatando que criminosos operavam descaminho de produtos eletrônicos em larga escala na região, iniciaram-se as investigações, que contaram com o apoio da Receita Federal do Brasil.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Durante as investigações foram levantadas provas que mostraram um padrão de vida totalmente incompatível com a atividade formal declarada pelos integrantes da organização criminosa, que ostentavam suas atividades e ganhos ilícitos nas redes sociais e demonstravam total desrespeito para com as forças estatais de segurança.

Os 17 mandados de busca e apreensão foram expedidos pela Justiça Federal de Naviraí, sendo dois deles em empresas de Mundo Novo e Guaíra(PR), além do bloqueio de bens e valores de pessoas físicas e jurídicas até o limite de R$ 3.969.537,00.

Ao todo 80 policiais federais e agentes da Receita Federal participam das ações que inclui o sequestro de todos os imóveis e veículos registrados em nome dos investigados, além de contas bancárias em todo o território nacional. Bens que estavam em nomes de “laranjas” também foram colocados em indisponibilidade.

Segundo a Polícia Federal, o objetivo principal da operação é dissolver a organização criminosa investigada com a descapitalização de seus principais membros de modo a fazer cessar suas atividades, tanto na região da fronteira, quanto em outras regiões do território nacional e também no Paraguai, de onde são enviados os grandes carregamentos de eletrônicos para vários Estados.

O nome da Operação Buena Vita faz referência ao padrão de vida dos integrantes da organização criminosa. Os nomes dos envolvidos e das empresas investigadas não foram divulgados.

Com informações do MSEMFOCO