(Foto: Ric Mais)

Um jornalista foi assassinado a tiros em Pedro Juan Caballero, no Paraguai, já quase na divisa com o Brasil, na terça-feira (6). Ele foi abordado por dois assassinos enquanto entrava em seu carro, em frente a emissora de rádio na qual trabalhava.

Humberto Andrés Coronel Godoy, de 33 anos, já vinha sendo ameaçado de morte por meio de bilhetes em português, jogados no quintal da casa de outro colega.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Os bilhetes diziam que o jornalista sabia demais e pedia que “deslembrasse” as informações ou seria executado.

Segundo o delegado Nery Portillo, que trabalha no departamento (estado) de Amambay, a polícia ofereceu proteção a vítima, porém a mesma recusou.

O jornalista trabalhava num veículo de propriedade da família do ex-prefeito de Pedro Juan Caballero, José Carlos Acevedo, também morto a tiros no dia 21 de maio do ano passado, no centro da cidade.

Em homenagem a Coronel, o Sindicato dos Jornalistas do Paraguai convocou uma manifestação para hoje (7), em frente ao ministério do Interior, com o intuito de repudiar o crime e clamar por segurança e justiça.

Não é a primeira vez que acontece casos de agressão contra a profissão. Em 2016, duas granadas de mão foram lançadas no prédio de uma emissora paraguaia. Mas as bombas não explodiram.

Portal Guaíra com informações da RIC Mais