"O governo brasileiro tem noção do que significa isso para a fronteira de Foz e para o Paraguai" disse a Senadora

ad

Em entrevista ao Jornal da Cultura (Rádio Cultura Foz) desta terça-feira (9), a senadora Gleisi Hoffmann (PT) informou que se reuniu com o Ministro da Fazenda, Joaquim Levy, onde tratou a manutenção dos 300 dólares, para quem atravessa a fronteira via terrestre.

[quote font_size=”14″ bgcolor=”#ededed” bcolor=”#e5e5e5″]

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Conversei com o ministro e ainda tem uma reunião com o secretário de Receita, que deve se encaminhar para a suspensão do ato da diminuição da Cota”, disse a senadora.[/quote]

Um levantamento sobre a instalação das lojas francas, em cidades gêmeas de fronteira, também foi discutido, onde a forma de transição ainda não foi definida nas cidades do Rio Grande do Sul onde a lei já aprovada pelas Câmaras de Vereadores.

[quote font_size=”14″ bgcolor=”#ededed” bcolor=”#e5e5e5″]

O governo brasileiro tem noção do que significa isso para a fronteira de Foz e para o Paraguai, então acredito que nós teremos uma solução que vai para o caminho da suspensão. Espero que nessa semana, mais tardar na próxima, isso já se resolva. Além da questão comercial e econômica, também tem uma questão política entre os dois países”, ressaltou Gleisi Hoffmann.[/quote]

Uma reportagem do site Ultimahora.com, destaca a crise que tem se alastrado em Cidade do Leste (Ciudad el Este), um reflexo do que está acontecendo no Brasil. Prova disso é que mais de 1000 lojas já fecharam suas portas até agora, em 2015. Destas, 60% de forma permanente, segundo informações do Município.

[quote font_size=”14″ bgcolor=”#ededed” bcolor=”#e5e5e5″]

Eu tenho que fechar porque está muito caro pagar aluguel e o proprietário do imóvel não perdoa, além de que está impossível pagar os funcionários“, disse um comerciante aflito, segundo relatório emitido pelo Telefuturo.[/quote]

Outras empresas comerciais estão fazendo liquidações que chegam até 50%, menos do que o valor de custo do produto, um sinal de que as coisas não vão bem no antigo centro comercial da tríplice fronteira – Paraguai, Brasil e Argentina.

As grandes lojas de departamento também estão dispensando seus funcionário por pelo menos 90 dias, na esperança que após esse tempo a situação se estabilize.

A capital do Alto Parana aguarda a estabilização da economia brasileira. Enquanto isso, a imagem que se tem agora é de uma cidade quase deserta, onde há tempos as ruas viviam cheias de turistas e compristas.

Vista de Ciudad del Este (Alto Paraná). Foto: Fernando Calistro
Vista de Ciudad del Este (Alto Paraná). Foto: Fernando Calistro

Portal Guaíra com informações da Rádio Cultura Foz/Ultima Hora