ad

A Confederação Nacional de Comerciantes de Fronteira do Paraguai (Fetracomfro), anunciou na quinta-feira (25) que poderão fechar as fronteiras do país, caso o presidente Horácio Cartes não permita a regulamentação do Despacho Menor Simplificado, que transforma compradores ilegais em microempresários.

A Fetracomfro informou que será dado um prazo de cinco dias ao presidente, para que emita uma resposta aos comerciantes de fronteira. A reunião da Fetracomfro aconteceu na quarta-feira me Assunção, com a presença de representantes das cidades paraguaias de fronteira. Nesta sexta-feira acontece uma coletiva de imprensa em Cidade do Leste para que a população saiba sobre as medidas que serão tomadas.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

“Nós queremos sentar e definir quem são os beneficiários do regime do F8. Também pedimos que nenhum produto seja restringido, porque todos sabemos que não abastece o mercado nacional”, disse a presidente da Confederação Zully Jaquet.

Jaquet informou ainda, que os pequenos compradores de mercadorias estrangeiras, principalmente do Brasil e Argentina, arrecadam aos cofres públicos 10% de cada carga despachada, por meio de impostos.

A sindicalista ameaçou que caso o regime de importação não seja regulamentado, as fronteiras poderão ser fechadas por tempo indeterminado.

paraguai

Portal Guaíra com informações da Rádio Cultura Foz