Galões com gasolina e botijões de gás da Argentina têm sido cada vez mais apreendidos em revendas ilegais nas cidades do sudoeste do Paraná, na região de fronteira com o país vizinho, segundo a Receita Federal.

Conforme o delegado da Receita Federal, em Dionísio Cerqueira, Mark Tollemache, esses dois itens são altamente perigosos e estão sendo revendidos em recipientes inadequados, colocando a população em perigo.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

“O aumento dessa atividade criminosa se deve, principalmente, aos preços atrativos do produto. O litro do combustível na Argentina está em torno de R$ 3 e a carga de gás em torno de R$ 25. Esses preços fazem com que os criminosos tragam grande quantidade para a revenda”, explicou.

Segundo a Receita Federal, com o aumento desse tipo de ocorrência após alta dos preços no Brasil, o órgão iniciou na região a Operação Nafta.

Com a iniciativa, a fiscalização na fronteira foi intensificada, no combate à entrada de combustíveis argentinos no Brasil.

O objetivo da ação é proteger a população dos riscos desse tipo de revenda e a economia nacional, principalmente o setor de combustíveis.

A Receita Federal não divulgou o balanço parcial das apreensões realizadas nos últimos dias, durante a operação.

Segundo a Receita Federal, com o aumento desse tipo de ocorrência após alta dos preços no Brasil, o órgão inciou na região a Operação Nafta.

Com a iniciativa, a fiscalização na fronteira foi intensificada, no combate à entrada de combustíveis argentinos no Brasil.

O objetivo da ação é proteger a população dos riscos desse tipo de revenda e a economia nacional, principalmente o setor de combustíveis.

A Receita Federal não divulgou o balanço parcial das apreensões realizadas nos últimos dias, durante a operação.

Portal Guaíra com informações do G1