ad

O frigorífico brasileiro JBS terá que explicar nesta terça-feira (19) os resquícios de carne de cavalo encontrados em produtos fornecidos à Nestlé.

Em comunicado assinado na Suíça, a multinacional afirma ter detectado, em teste de DNA, mais de 1% de carne de equino — nível acima do limite permitido no Reino Unido pela Agência de Segurança Alimentar, o que indica possível adulteração de alimento ou até negligência do fabricante.

O produto teria sido fornecido, na verdade, por uma empresa subcontratada pelo JBS — a alemã H.J. Schypke. A Nestlé recebeu o alimento da JBS Toledo, subsidiária belga do frigorífico brasileiro. O R7 procurou a matriz da JBS no Brasil na noite desta segunda-feira (18), mas não obteve retorno.

O principal problema é que a carne de cavalo estava misturada a alimentos vendidos como se fossem feitos com 100% de carne bovina. A JBS terá que explicar ao mercado a causa dessa possível adulteração e sua relação com a empresa alemã, que teria feito a “mistura”.

Fonte: R7