ad

As investigações sobre um suposto caso de estupro de vulnerável, seguido de lesão corporal gravíssima, segue em investigação pela Polícia Civil. O caso aconteceu no último sábado (8), na cidade de Francisco Alves. Os nomes dos envolvidos não foram divulgados.

O delegado Thiago Soares, da Comarca de Iporã, é o responsável pelo inquérito. Ele informa que na noite de sábado a mãe da menina de 3 anos foi dar banho na filha e ela reclamou de dores. A mulher, de 26 anos, foi verificar e notou que havia lesões e fissuras na genitália da criança.

“A criança narrou para a mãe que tinha sido o tio que fez aquilo”, informa o delegado. Na sequência, a mãe da menina foi até a residência onde seu irmão, de 13 anos, mora para conversar sobre o acontecido. Segundo a mulher, o irmão confessou que tentou abusar da sobrinha. Ela então se apossou de uma faca e decepou o órgão genital do menor.

Soares também informou que a criança foi encaminhada ainda no domingo ao Instituto Médico Legal (IML) de Umuarama para realizar exame de lesão corporal, conjunção carnal e atos libidinosos. O resultado ainda não foi divulgado.

O delegado disse que a mãe da menina se apresentou na manhã de segunda-feira (10) na Delegacia de Francisco Alves. Ela prestou esclarecimentos e relatou que decepou o pênis após o garoto contar sobre o abuso. “Ela disse que no momento de fúria, quando o adolescente confessou o abuso, se apoderou de uma faca e decepou o órgão genital dele”, explica Soares.

Como ela não estava mais em situação de flagrante, foi ouvida e liberada. A prisão pode ser solicitada mais adiante, dependendo do inquérito policial.

Conforme o delegado, agora estão em andamento dois procedimentos. Um deles por ato infracional, por parte do adolescente, para investigar o estupro de vulnerável. Já a irmã do menor (mãe da criança) poderá responder por lesão corporal gravíssima, caso o fato seja comprovado.

A menina vítima, além de passar por exames, deve receber acompanhamento psicológico.

Hospital
O adolescente acusado do estupro segue internado na UTI do hospital Cemil de Umuarama. A casa de saúde emitiu uma nota na manhã dessa segunda. Confira:

“O estado do paciente menor de idade que deu entrada após ser atingido por objeto perfuro-cortante é estável e segue requerendo cuidados especiais. Para não expor o paciente e a família, o Hospital Cemil reserva-se ao direito de não emitir outras informações”.

O delegado informa que após sua recuperação ele deve participar de uma oitiva.

Portal Guaíra com informações do OBemdito