O presidente Jair Bolsonaro declarou, durante sua live semanal, que relatórios do Reino Unido sugeriram que pessoas totalmente vacinadas contra a Covid-19 começaram a desenvolver a Síndrome de Imunodeficiência Adquirida (Aids). Contudo, o governo britânico desmentiu a afirmação e disse se tratar de fake news.

Ao G1, o Departamento de Saúde e Assistência Social do Reino Unido explicou que Bolsonaro usou a publicação de um site que compartilha mentiras e teorias de conspiração. Zahraa Vindhani, oficial de comunicações da Agência de Segurança de Saúde do Reino Unido, também disse que as vacinas contra Covid-19 não causam Aids, e ressaltou que a doença é resultado do vírus HIV.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O Facebook tirou do ar a live de Jair Bolsonaro (sem partido) em que ele compartilha uma mentira sobre a relação entre vacina contra a Covid e Aids. O vídeo não está mais disponível nas contas do presidente no Facebook e no Instagram.

A mensagem citada por Jair Bolsonaro foi a seguinte: “Uma comparação de relatórios oficiais do governo sugere que os totalmente vacinados estão desenvolvendo a Síndrome de Imunodeficiência Adquirida muito mais rápido do que o previsto”. A informação falsa teria surgido no site conspiracionista beforeitnews.com, ainda de acordo com o G1.

Importância da vacina contra a Covid-19

Os imunizantes contra a Covid-19 ajudam a prevenir formas mais graves da doença e, consequentemente, são essenciais para frear as internações e mortes decorrentes da enfermidade.

Segundo levantamento realizado pela plataforma de monitoramento Info Tracker, criada por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), 96% dos óbitos pelo novo coronavírus são de quem não tomou a vacina. O estudo é referente ao período de fevereiro a julho, com 30% dos adultos brasileiros completamente imunizados.

As informações são do BolaVip/MSN