De acordo com o diário inglês “Daily Mail”, uma pessoa fez uma aposta de R$ 29 milhões em Trump. Segundo a reportagem do jornal, o apostador está bastante envolvido com o mercado financeiro e mantinha conversas com algumas pessoas presentes no comitê do ex-presidente dos EUA. Já outra pessoa fez uma aposta de cerca de R$ 7,46 milhões em Biden, segundo a plataforma Betfair Exchange. Os pitacos realizados serão aceitos até o momento em que um vencedor for declarado, e em uma famosa casa de aposta o montante levantado foi de quase R$ 3 bilhões – praticamente o dobro do valor, que foi angariado nas eleições presidenciais americanas de 2016.

Desde o início do pleito de 2020, Biden vem sendo o favorito nas casas de apostas. Porém, após o encerramento da votação e início da contagem dos votos, Donald Trump ficou no topo dos sites especializados dos Estados Unidos. Se você também quiser arriscar um pitaco no pleito americano, no Brasileirão, Champions League, ou algum outro torneio da sua preferência, é essencial saber as melhores estratégias para apostas seguras e escolher uma plataforma de confiança.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Já no finalzinho do dia 3/11, Trump ainda permanecia à frente de Joe Biden na maioria das empresas americanas do setor de jogos de azar. Segundo o site britânico Betfair Exchange, as pessoas que apostaram dinheiro na reeleição do Trump tem maiores chances de vitória após a última terça-feira. Enquanto isso, em Las Vegas, Trump estava cotado a 1,44 dólares a cada um apostado, enquanto o democrata estava sendo considerado o azarão, com a cotação em 2,55. No Brasil, a cotação para a reeleição de Trump chegou em 1,25, já para a vitória de Biden em 3,75.

Postura de Biden durante as eleições presidenciais americanas 2020

Já há alguns meses, tanto republicanos quanto democratas vêm se digladiando para conseguir a atenção dos americanos e os seus votos. Joe Biden se posicionou durante os seus discursos sobre diversos temas de interesse global, como o meio ambiente. E vale destacar essa pauta, já que sua proposta é completamente inversa a do seu adversário político. Para o democrata, é essencial que o país volte ao Acordo de Paris, que prevê a redução de cerca de 28% na emissão de gases do efeito estufa até 2025. E prometeu investir mais de 1,7 trilhões de dólares ao longo de 10 anos na pesquisa e no desenvolvimento de tecnologias que preservem o meio ambiente.

Já em relação a economia, o democrata promete aumentar os impostos sobre grandes fortunas, mas diz que não alterará a cobrança estatal para maioria dos estadunidenses. Um dos pontos de maior convergência entre Trump e Biden, é a valorização da indústria norte-americana – o ex-vice-presidente dos EUA, é um dos adeptos da ideia de incentivar e investir em serviços e produtos produzidos no país, com o principal intuito de aumentar a taxa de emprego.

Outras pautas que geraram bastante comoção durante essas eleições foram a desigualdade social e o racismo. Após o fatídico caso de violência policial que culminou na morte de George Floyd, várias cidades nos Estados Unidos fervilhavam em manifestações clamando por justiça. Durante esses protestos, Trump adotou uma postura dura e intransigente, sempre criticando os protestos. Enquanto isso, Biden mostrou-se solidário à causa, e aproveitou para sugerir reformas no sistema judicial americano, além de incentivar a criação de programas que fomentam negócios de populações carentes. Além disso, o democrata já disse em vária ocasiões que pretende reduzir as taxas de encarceramento no país, além das desigualdades financeiras, raciais e de gênero durante os julgamentos.

Redação Portal Guaíra