Os números são imprecisos, pois a PRF (Polícia Rodoviária Federal) só divulgará os dados de dezembro na primeira semana de fevereiro próximo, mas já é possível afirmar que ao menos 1.700 pessoas morreram em acidentes nas rodovias que cortam o Paraná ao longo do ano passado. A proporção foi de 4,6 mortes por dia, com crescimento de 12% em relação ao registrado em 2011.

Para se ter uma ideia do tamanho dessa tragédia, é mais gente que todos os habitantes de dois dos 399 municípios do Estado: Jardim Olinda, o menor deles, com 1.409 moradores, e Nova Aliança do Ivaí, com 1.433.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Bem mais extensa, a malha rodoviária estadual respondeu por 861 mortes no período, contra 722 do ano anterior.

A PRF contabilizou 795 mortes nas rodovias federais do Estado entre janeiro e novembro, contra 722 de igual período do ano anterior. A reportagem de O Paraná conseguiu apurar, entretanto, que apenas na área de abrangência das delegacias de Cascavel, Guaíra, Pato Branco e Colombo foram registradas em dezembro outras 37 mortes.

Como ainda falta contabilizar os dados das delegacias de Foz do Iguaçu, Ponta Grossa e Londrina, o número total passará das 850 mortes.

CAUSAS

As colisões frontais predominaram amplamente nos acidentes que levaram a essa trágica estatística, mas os atropelamentos causaram pelo menos 450 dessas mortes. Problemas mecânicos motivaram poucos acidentes com mortes. A maioria esmagadora foi causada pela imprudência de motoristas e pedestres. As autoridades policiais lembram, no entanto, que houve aumento significativo no número de veículos em circulação.

A imprudência foi a principal causa do trágico saldo de 2012 nas estradas paranaenses
A imprudência foi a principal causa do trágico saldo de 2012 nas estradas paranaenses

Fonte: O Paraná