Neymar, de helicóptero, retornou a Granja Comary no domingo (Foto: AFP)

ad

Um dia após a divulgação da acusação de estupro e de Neymar ter publicado nas redes sociais a suposta conversa com a mulher, a Polícia Civil de Teresópolis foi até a Granja Comary.

O camisa 10 da Seleção Brasileira está sob investigação das autoridades justamente por conta de ter exposto fotos íntimas da mulher que o acusou. O jogador será intimado a prestar depoimento, assim como a responsável pela acusação.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

A Polícia Civil chegou na Granja Comary na manhã deste domingo para notificar o jogador, que não estava presente na concentração. Por conta disso, o caso passou a ser tratado pela Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, que irá instaurar um inquérito sobre o caso neste segunda. Neymar e a mulher terão os aparelhos celulares periciados pelas autoridades responsáveis.

O camisa 10 da Seleção Brasileira será investigado com base no artigo 281-C, que diz: ‘Oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, vender ou expor à venda, distribuir, publicar ou divulgar, por qualquer meio – inclusive por meio de comunicação de massa ou sistema de informática ou telemática -, fotografia, vídeo ou outro registro audiovisual que contenha cena de estupro ou de estupro de vulnerável ou que faça apologia ou induza a sua prática, ou, sem o consentimento da vítima, cena de sexo, nudez ou pornografia’. O crime prevê pena de prisão de um a cinco anos.

“Vou instaurar procedimento, juntar vídeos e mensagens. Inicialmente tentar ouvir o Neymar e buscar o telefone para ver o vídeo sem estar editado, como foi lançado”, disse Pablo Sartori, delegado da DRCI.

As informações são do Portal Terra