O ex-procurador da Lava Jato, Deltan Dallagnol (Podemos), foi eleito o deputado federal mais votado do Paraná.

Ele fez 344.917 votos. A segunda colocada é a deputada federal e presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, com 261.242 votos, seguida do deputado federal Filipe Barros (PL), com 249.507 votos.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O registro de candidatura dele, entretanto, continua pendente de julgamento, segundo informações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Além dele, outros dois candidatos também aguardam deferimento ou indeferimento. Entenda mais abaixo.

Após ter a confirmação de que estava eleito, Deltan foi ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PR). Ele disse que defenderá “valores democráticos”.

 “Nós precisamos focar agora no segundo turno. Nós sempre vamos defender os valores democráticos, a democracia, inclusive especialmente contra a corrupção sistêmica e vamos defender o povo brasileiro, estar do lado de boas pautas que possam fazer o nosso país. Ser um país mais justo”, disse Deltan pouco após ser considerado matematicamente eleito.

Os pedidos de impugnação

Pesam contra o registro do candidato pelo menos duas ações de impugnação, protocoladas pela Federação Brasil da Esperança e comissão provisória do Partido da Mobilização Nacional do Paraná (PMN).

Conforme determinação da Lei das Eleições, os deferimentos e indeferimentos de candidaturas devem ocorrer até 20 dias antes do pleito. No Paraná, entretanto, o TRE-PR prorrogou este prazo de julgamento frente ao alto número de processos.

Ao g1, secretaria de comunicação do órgão disse que, no caso de Deltan, o julgamento deve ser feito após as eleições.

O que significa a pendência de julgamento

Segundo o TRE, em um eventual cenário de indeferimento, os votos que Deltan recebeu podem ser anulados, o que inviabilizaria a posse dele como deputado federal e influenciaria na definição dos eleitos para o Congresso Nacional pelo estado, por conta do quociente eleitoral.

Caso o julgamento defina pelo deferimento, os votos que ele recebeu serão validados.

A reportagem questionou a assessoria do deputado eleito sobre a demora do julgamento do registro de candidatura, mas não teve resposta até a publicação ir ao ar.

Portal Guaíra com G1