PMDB decidiu pela candidatura de Requião para o Governo do Paraná (Foto: Fernando Castro/ G1)

Em convenção tumultuada, realizada nesta sexta-feira (20), em Curitiba/PR, o PMDB definiu que terá candidatura própria nas eleições estaduais deste ano e que o senador Roberto Requião será o candidato. Requião derrotou a tese de coligação com o governador Beto Richa (PSDB), defendida, no final do processo, por 10 dos 12 deputados estaduais do partido.

Depois de muita confusão, discussão (até com ameaça de vias de fato), contagem e recontagem dos votos, a candidatura de Requião venceu com 319 votos, contra 250 para a coligação. Quatro votos nulos e um em branco também foram registrados.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Após o resultado da votação e a comemoração da corrente vencedora, a convenção segue, agora, para a definição da política de alianças e das candidaturas a vice-governador e ao Senado.

“O PMDB mostrou que é forte e que não está à venda e não aceita cargo em comissão. Não fui eu que venci, foi o velho MDB de guerra”, disse Requião logo após o resultado da votação.

A decisão pela candidatura própria do PMDB influencia diretamente o quadro eleitoral no Estado. Com o senador na disputa, a eleição não será mais polarizada entre o atual governador e a senadora Gleisi Hoffamnn (PT). A presença de um candidato forte como Requião, que já governou o Paraná por três mandatos, praticamente assegura que a disputa irá para o segundo turno, ao contrário do que aconteceu em 2010, quando Beto Richa e Osmar Dias (PDT) fizeram uma disputa acirrada, mas, sem uma terceiro força, a eleição foi decidida no primeiro turno.

PMDB decidiu pela candidatura de Requião para o Governo do Paraná (Foto: Fernando Castro/ G1)
PMDB decidiu pela candidatura de Requião para o Governo do Paraná (Foto: Fernando Castro/ G1)

Fonte: Bonde