ad

A política guairense nunca esteve tão indefinida. A pouco menos de 10 meses para as eleições que definirão os novos representantes, as incertezas são muitas e as especulações, maiores ainda.

O impasse tem explicação. É que os tradicionais “caciques” da política local estão em seus ciclos finais e fatalmente os grupos terão que ser rearranjados. Há quem diga que os antigos grupos e lideranças terão seu último suspiro em 2020. A partir de então, novas alianças e nomes deverão assumir as rédeas, ditar as regras. Por isso, as eleições de 2020 podem ser o embrião para novas possibilidades.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Entretanto, dois nomes da velha guarda despontam como pré-candidatos. O atual prefeito, Heraldo Trento, é apontado como favorito ao pleito. Embora esteja em seu primeiro mandato, ele não é exatamente uma novidade. Heraldo foi coordenador e membro ativo dentro do grupo do ex-prefeito Fabian Vendruscolo, que disputou e polarizou quatro candidaturas seguidas, tendo sido eleito para duas delas, de forma alternada (perdeu em 2000 e 2008 e venceu em 2004 e 2012).

Contudo, Heraldo ainda não deu certeza de que disputará a eleição. Sem seu nome, o grupo que ele lidera perde consideravelmente as suas chances.

Pela oposição, há uma enorme indefinição. O grupo mais vencedor da política guairense está afastado do poder a oito anos, e seu nome mais expressivo, Manoel Kuba, está fora do páreo desde seu último mandato, de 2009 a 2012, quando foi eleito pela terceira vez (é até hoje o maior vencedor da política guairense).

Desde então, o grupo focou seu apoio na família Vanin Rodrigues, que disputou as eleições com Guilherme Vanin Rodrigues (em 2012) e Silvia Vanin (2016), respectivamente filho e esposa do ex-prefeito Mario Barbosa Rodrigues.

Para este ano, o vereador Sandro Sabino Borges ensaia uma pré-candidatura, assim como o veteraníssimo Osvaldino da Silveira, ex-prefeito e eterno vereador da cidade.

Osvaldino teria, segundo informações extraoficiais, costurado uma aliança com Mário Barbosa Rodrigues e sua esposa Silvia Vanin. No entanto, nada de concreto foi anunciado e a oposição parece fragmentada.

Soma-se a essas personalidades o nome de Osmar Volpatto, vice-prefeito da gestão Fabian que rompeu declaradamente com o grupo. Não se sabe, no entanto, quais são suas intenções para 2020.

O grupo dos 30

Outro grupo que pode fazer a diferença para a oposição é o chamado grupo dos 30, formado por dissidentes do atual grupo governista. Articulados por, entre outros, Carlos Alberto Leite (Carlinhos Diba), o grupo manifesta a vontade de oferecer uma terceira via, uma alternativa ao pêndulo guairense. Resta saber se o grupo terá força suficiente para garantir a renovação, mas não deixa de ser um oxigênio, um ingrediente a mais para 2020.

Perifericamente

Correndo por fora, existem, ainda, os nomes de Pedro Sirineu e Jamil Abu Ali. No entanto, ambos são considerados sem o peso necessário para um embate com Heraldo ou qualquer outro nome apontado dentro do extenso grupo de oposição: Sandro, Osvaldino, Silvia Vanin.

Vices

E quanto aos vices? Aí a lista se alarga. Pelo grupo de Heraldo, os favoritos são Gileade Osti (atual Chefe de Gabinete), a atual presidente da Câmara Lígia Lumi Suga (que já havia dito ao Portal Guaíra que tentará reeleição na Câmara de Vereadores, mas dentro da política tudo pode mudar num piscar de olhos) e Sinomar Maria Neto (Secretário de Infraestrutura, Agropecuária e Meio Ambiente).

Já no embaralhado grupo de oposição, as opções podem ser mais complexas. Sandro, que expressa o desejo de se candidatar ao Executivo, pode ser candidato à vice, dependendo da aliança. Silvia, que pode ser vice de Osvaldino, pode sair como pré-candidata, caso o próprio Osvaldino desista.

Muitos inclusive apostam que Sandro e Osvaldino acabarão desistindo caso não consigam alianças suficientes para compor uma chapa competitiva. Embora parte da população esteja manifestadamente contra o atual governo, a excessiva fragmentação do grupo oposicionista é presa fácil para um grupo fechado como o de Heraldo Trento.

Nesse caso, ambos apostariam em manter seus mandatos na Câmara, uma vez que é notória a base de apoio que os mantém com votações expressivas nas eleições para o Legislativo.

Por fim, resta saber os passos do atual vice-prefeito, Valberto Paixão da Silva. Em contato com o Portal Guaíra ele disse que não houve conversa “ainda” sobre uma nova dobradinha com Heraldo, portanto, não teria no momento desta publicação uma resposta sobre o seu futuro político.

Redação Portal Guaíra