ad

O repasse de royalties aos municípios lindeiros ao Lago de Itaipu cresceu 28% no primeiro semestre de 2019 comparado ao mesmo período do ano passado. Os valores se tratam da compensação financeira pela utilização do potencial hidráulico do Rio Paraná para a produção de energia elétrica na Itaipu e são distribuídos aos municípios de forma proporcional à área alagada. Em valores, isso significa um aporte de quase R$ 50 milhões.

Repasse

O último repasse de royalties realizado pela Itaipu foi feito no dia 31 de maio, no total de US$ 12 milhões repassados ao Tesouro Nacional. Ao governo do Paraná e aos 15 municípios paranaenses que fazem divisa com o reservatório da Itaipu, destinou-se o equivalente a US$ 9,1 milhões.

O repasse de royalties aos municípios lindeiros ao Lago de Itaipu cresceu 28% no primeiro semestre de 2019 comparado ao mesmo período do ano passado. Os valores se tratam da compensação financeira pela utilização do potencial hidráulico do Rio Paraná para a produção de energia elétrica na Itaipu e são distribuídos aos municípios de forma proporcional à área alagada. Em valores, isso significa um aporte de quase R$ 50 milhões.

Guaíra ganha compensação

Já em Guaíra, além dessa mudança geral, a expectativa é pelo novo percentual que será destinado ao Município, que passa de 4,8% para 8%, como forma de compensação pelo alagamento do atrativo turístico de Sete Quedas para a formação do reservatório de Itaipu.

De acordo com o chefe de Gabinete do Município, Gileade Osti, ainda não há data específica para a mudança: “Ainda não temos uma data específica de quando vamos começar a receber os royalties. A lei foi sancionada em 9 de maio, presume-se que em até 90 dias começaremos a receber, ou seja, em agosto. Os valores dependem muito da variação cambial e da produção de energia, mas calculamos cerca de R$ 13 milhões a R$ 14 milhões a mais por ano que o Município irá receber”, adianta Gileade.

Sobre o destino desses recursos, já existe um planejamento: “O Município fará a atualização do plano-diretor para os próximos dez anos, o que vai nortear o desenvolvimento da cidade. Os recursos serão planejados prioritariamente em ações estruturantes visando à sustentabilidade financeira do Município. Especialmente nas áreas de infraestrutura, desenvolvimento sustentável e turismo”, explica o chefe de gabinete.

As informações são do O Paraná


ad