Em dia de feriado nos Estados Unidos, o dólar caiu pela segunda vez seguida.

A bolsa de valores subiu pela terceira sessão consecutiva, beneficiada pela recuperação das commodities (bens primários com cotação internacional).

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O dólar comercial encerrou esta segunda-feira (5) vendido a R$ 5,154, com queda de R$ 0,031 (-0,59%).

A cotação abriu próxima da estabilidade e caiu durante toda a sessão, até encerrar próxima das mínimas do dia.

A divisa está no nível mais baixo desde a última terça-feira (30), quando tinha fechado em R$ 5,11.

A queda mais expressiva de hoje, no entanto, ocorreu com o euro.

A moeda fechou a R$ 5,118, com recuo de R$ 0,04 (-0,83%), prejudicada pelo anúncio da Rússia de que o fornecimento de gás para o resto do continente só será retomado se as sanções econômicas impostas ao país acabarem.

A notícia fez o euro ser cotado abaixo de US$ 0,99 pela primeira vez em duas décadas, no pior desempenho contra a moeda norte-americana.

No mercado de ações, o dia foi marcado pela recuperação.

O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 112.203 pontos, com alta de 1,21%.

O indicador foi beneficiado pela recuperação das commodities, que beneficiou ações de mineradoras, e pela perspectiva de que os juros no Brasil vão parar de subir, o que impulsionou papéis de empresas varejistas.

Com o feriado do Dia do Trabalho nos Estados Unidos, o mercado financeiro operou sem o principal referencial externo.

No entanto, notícias de estímulos econômicos na China impulsionaram as commodities, beneficiando exportadores de produtos primários, como o Brasil.

Nesta semana, os investidores aguardam o resultado da reunião do Banco Central Europeu, que deve elevar os juros pela segunda vez consecutiva na próxima quinta-feira (8).

A alta deverá fazer o euro recuperar parte das perdas recentes perante o dólar.*Com informações da Reuters

Portal Guaíra com informações da EBC