Uma linha de transmissão que levará energia da Usina Hidrelétrica de Itaipu Binacional para o Paraguai foi inaugurada ontem (29) pela presidenta Dilma Rousseff, em Hernandárias, cidade fronteiriça paraguaia. Segunda a presidenta, a linha vai cobrir 25% da demanda do Paraguai e contribuirá para o desenvolvimento do país, possibilitando novos investimentos.

“As empresas brasileiras e paraguaias que se instalarão ao longo da linha de transmissão gerarão empregos, pagarão impostos, aumentarão a renda disponível, concorrendo para o desenvolvimento diversificado do país e de toda a região”, disse. “Será assim potencializada a taxa de crescimento econômico do Paraguai expressiva em 2013, sem dúvida, tudo indica, a maior da América do Sul”, completou.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

linha-de-transmissao

A obra foi financiada pelo Fundo para a Convergência Estrutural do Mercosul (Focem), com contrapartida de 15% do Paraguai. O custo total foi US$ 320 milhões, incluindo US$ 15,8 milhões na ampliação da Subestação da Margem Direita, US$ 165 milhões nas linhas de transmissão e US$ 105 milhões para a construção da Subestação de Villa Hayes.

No discurso, Dilma ressaltou o papel do Mercosul para superar as assimetrias entre os países que compõe o bloco. “Isso é prova de que o Mercosul está forte, não se limita ao comércio, mas promove desenvolvimento buscando a superação das assimetrias entre os países da região”, disse.

O Paraguai foi suspenso do bloco no ano passado, após o impeachment de Fernando Lugo do cargo de presidente. Em julho, durante a Cúpula de Chefes de Estado e de Governo do Mercosul, ficou decidido o fim da suspensão. A presidenta Dilma deixou claro o apoio ao país. “Queria reafirmar o compromisso do governo brasileiro de apoiar seu governo na luta contra a pobreza”, disse diretamente ao presidente paraguaio, Horacio Cartes.

Portal Guaíra com Agência Brasil