Um doador de esperma em Kansas, nos Estados Unidos, foi ordenado a oferecer suporte financeiro a um casal de mulheres que geraram a criança a partir do sêmen doado. O mecânico William Marotta, de 46 anos, cedeu esperma a um casal de lésbicas que colocou o anúncio na internet. No entanto, o esperma foi inseminado em uma das mulheres sem acompanhamento médico. As informações são da rede de notícias Fox.com.

A ilegalidade do procedimento foi interpretada pelo Departamento da Família e da Criança do Kansas como responsabilidade do doador que terá de arcar com as despesas da criança. Mas o mecânico afirma que não sabia da ausência de acompanhamento médico no caso.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O casal formado por Angela Bauer, 40, e Jennifer Scriner, 34, assumiu as despesas da criança, mas quando Angela teve uma doença que a impediu de trabalhar elas tiveram de recorrer ao serviço social local para obter ajuda financeira com as despesas da criança. Mas como o Estado do Kansas não reconhece uniões homossexuais, elas tiveram de revelar o nome do pai biológico da criança que foi obrigado a pagar o valor de U$6 mil em despesas médicas e pensão alimentícia para sua filha biológica.

As mulheres não aprovaram a determinação do juiz e, juntas, estão reunindo esforços para que Marotta consiga recorrer.