A presidente Dilma Rousseff divulgou uma nota oficial na segunda (9) dizendo que, se forem confirmados os fatos veiculados pela imprensa, fica evidenciado que o motivo das tentativas de violação e de espionagem de dados do Brasil, que agora têm como alvo a Petrobras, não é a segurança ou o combate ao terrorismo, mas interesses econômicos e estratégicos.

“Sem dúvida, a Petrobras não representa ameaça à segurança de qualquer país. Representa, sim, um dos maiores ativos de petróleo do mundo e um patrimônio do povo brasileiro”, disse. Reportagem veiculada ontem pelo programa Fantástico, da TV Globo, mostrou que documentos vazados pelo ex-consultor de informática Edward Snowden indicam que a rede privada de computadores da Petrobras foi monitorada pela Agência Nacional de Segurança dos Estados Unidos (NSA).

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

DilmaRousseffIII

“Por isso, o governo brasileiro está empenhado em obter esclarecimentos do governo norte-americano sobre todas as violações eventualmente praticadas, bem como exigir medidas concretas que afastem em definitivo a possibilidades de espionagem ofensiva aos direitos humanos, à nossa soberania e aos nossos interesses econômicos”, diz a nota. Segundo Dilma, as tentativas de violação e espionagem de dados e informações são incompatíveis com a convivência democrática entre países amigos, sendo manifestamente ilegítimas.

“Da nossa parte, tomaremos todas as medidas para proteger o país, o governo e suas empresas”, diz o comunicado. Em nota, a Petrobras garantiu que dispõe de sistemas altamente qualificados e permanentemente atualizados para proteção de sua rede interna de computadores. Conforme a estatal, são executados todos os procedimentos reconhecidos para garantir a segurança de dados e informações.

Fonte: Agência Brasil