(Foto: Guilherme Zeli)

O sentimento do pecuarista Guilherme Zeli é de revolta. No último fim de semana, criminosos invadiram sua fazenda em Três Lagoas (MS) e esquartejaram uma novilha senepol PO com dois anos de idade. Os suspeitos deixaram a carcaça no pasto e leram apenas os cortes nobres do animal, deixando o produtor com um prejuízo estimado em R$ 15 mil.

“O pasto onde o animal foi encontrado fica a 3 km da sede. Lá perto tem um matagal alto, onde eu encontrei marcas de pneu e acredito que deixaram escondido o carro para fugir com o produto do furto. Como era um animal manso, acredito que tenham laçado e degolado. Quem fez é do ramo. Sabia como agir”, conta o pecuarista.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Em tom de revolta, Zeli acredita que o crime em sua fazenda ficará impune. “Gostaria que houvesse mais justiça, afinal, a gente sabe que como não é um caso em flagrante, dificilmente esse criminoso vai ser preso, e amanhã a vítima pode ser outra pessoa”.

A novilha era uma matriz que o pecuarista iria colocar a venda em leilão, mas foi retirada antes devido a um aborto. Guilherme Zeli afirma que pretende continuar sua rotina de trabalho na fazenda, mas agora pensa em um sistema de monitoramento de câmeras, para evitar que novas ações desse tipo aconteçam.

Portal Guaíra com informações do Canal Rural