Anderson Loffi, diretor-presidente da PROEM

“Este é um final de ano diferente, como nunca havíamos imaginado. Nosso senso de responsabilidade nos impõe um posicionamento de lucidez e resiliência nestes tempos de pandemia, buscando, acima de tudo, preservar o bem-estar e a saúde dos rondonenses”.

A manifestação é do diretor-presidente da PROEM – Fundação Promotora de Eventos de Marechal Rondon-, Anderson Loffi, ao justificar a não realização de queima de fogos neste Réveillon. Segundo ele, a determinação do prefeito Marcio Rauber e do vice-prefeito Ila, é para que não se realizem os tradicionais eventos de passagem de ano no Parque Ecológico Rodolfo Rieger (Lago Municipal) e no parque de lazer e turismo de Porto Mendes.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O diretor da PROEM lembrou que o cancelamento de eventos do Réveillon segue o protocolo de cuidado e prevenção à COVID-19, a exemplo da grande maioria das cidades brasileiras, incluindo a mais famosa queima de fogos do país, em Copacabana, no Rio de Janeiro.

Loffi lembra que as aglomerações de pessoas estão proibidas por decretos, tanto em nível estadual como municipal, e seria incoerente e imprudente realizar eventos desta natureza com o patrocínio do município. “Esperamos que a população compreenda cada vez mais a gravidade do momento que vivemos, na esperança de que em 2021 possamos superar a pandemia e voltar à vida normal”, afirmou.