Os órgãos da menina Gabrielli Cristina Koji, de nove anos, foram captados, nesta quarta-feira (6), para serem doados a três pessoas, segundo o Hospital Universitário de Cascavel, no oeste do Paraná.

A criança havia ficado gravemente ferida em um acidente de trânsito na BR-369, onde perdeu os pais na batida. Gabrielli teve morte cerebral quatro dias após ser internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) pediátrica.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Segundo o hospital, a captação dos órgãos durou três horas e ocorreu na manhã desta quarta. O fígado e os dois rins da criança foram enviados para três pacientes dos estados de São Paulo, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro.

Por causa do acidente, Gustavo Koji, de 16 anos, perdeu os pais Moacir Koji, de 42 anos, e Cristina Pereira Koji, de 40 anos, além da irmã mais nova. Ele estava no colégio quando soube do acidente.

“Difícil porque é uma surpresa para todo mundo. Ninguém espera que vai acordar de manhã, vai estar na escola e do nada receber a mensagem que seus pais vieram a falecer em um acidente e que sua irmã está em estado grave. Mas querendo ou não a gente tem que continuar firme, porque tem toda uma família que precisa de ajuda.”

Segundo o adolescente, a mãe dele sempre falou sobre doar os próprios órgãos ou o corpo para estudos após a morte dela. Entretanto, por causa das condições do acidente, nenhuma das duas opções foi possível.

Pensando nesse desejo da mãe e sabendo como a irmã ficaria feliz em poder levar alegria para outra pessoa, Gustavo optou pela doação de órgãos de Gabrielli.

“Viva ela sempre vai estar na memória e coração de todo mundo, vai ter um pouquinho dela em cada um, tanto físico como mentalmente. Ela vai estar levando alegria. […] Isso ajuda a aliviar um pouco o que a gente está sentindo, porque mesmo em um momento de tristeza a gente vai poder ajudar alguém. A Gabrielli vai poder ajudar alguém.”

Em entrevista à RPC, o adolescente relembrou como os pais eram trabalhadores. O casal tinha uma empresa em Cascavel.

“Eu digo que fui bem criado, eles me ajudaram muito a ser quem eu sou hoje em dia. Minha mãe fez eu ser forte. Ela sempre falava que nunca há tempo ruim, que a gente sempre tem que continuar firme.”

Acidente
A família estava em uma carro quando foi atingida por um caminhão na BR-369, em Cascavel, na sexta-feira (1º).

Após o acidente, a menina foi encaminhada para atendimento no HUOP.

Segundo a PRF, a batida aconteceu no momento em que o carro da família tentava atravessar a rodovia. O caminhão estava na preferencial e acabou batendo no veículo.

A polícia também afirmou que chovia no momento do acidente e ainda estava escuro.

Portal Guaíra com informações do G1