O Hospital Universitário do Oeste do Paraná (Huop) realizou, pela primeira vez, uma cirurgia de reconstrução de crânio com um molde 3D. O procedimento, inédito em um hospital público da região Oeste, foi possível graças a uma parceria da instituição com a startup Segmenta Biomodelos, de Toledo. O Huop é vinculado à Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste).

A tecnologia utilizada consiste em um molde com baixo custo, que visa atender as demandas do Sistema Público de Saúde (SUS). Não existe na região banco de ossos que possam auxiliar nesse tipo de cirurgia.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

No procedimento foi necessário um planejamento cirúrgico para definição da assimetria do crânio. “Essa cirurgia não teria a mesma qualidade final sem o molde, pois o contorno seria feito à mão livre, e quando as falhas são grandes no crânio é difícil ter uma assimetria e precisão tão boas”, explica o neurocirurgião do Huop, Marcius Benigno Marques dos Santos.

O paciente, que aguardava desde 2012 a cirurgia, agora poderá retomar a rotina com normalidade. Antes da colocação do molde, foi necessário separar a espessura da pele da membrana que cobre o cérebro, para que então o molde pudesse ser encaixado.

Para o especialista em engenharia biomédica e responsável pela startup, Eduardo Garcia, a parceria trará grandes benefícios para o Estado. “Esse é apenas o início. A tecnologia vem para ajudar muito em cirurgias como essas, e a expectativa é que possamos ajudar cada vez mais pessoas que sobrevivem a traumas ou tumores”, afirma.

A parceria foi possível através de outro projeto de residência em Neurocirurgia do Huop, realizado pelo médico Álvaro Moreira da Luz e orientado por Marcius Benigno Marques dos Santos, que apresentou o trabalho de aplicabilidade do molde 3D.

Portal Guaíra com AEN