O homem acusado de matar a ex-esposa, Micheli Petrazzini de Matos, e mais três pessoas em Cascavel, foi condenado na quinta-feira (11) a 63 anos de prisão em regime fechado. O crime foi em fevereiro deste ano.

Os jurados decidiram que João Paulo da Silva, 33 anos, seja condenado por feminicídio e três homicídios qualificados, por recurso que dificultou a defesa das vítimas. A defesa dele disse que vai recorrer da sentença.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O réu está preso desde abril.

O caso
Segundo a polícia, o acusado chegou atirando na casa da ex-companheira, que participava de uma confraternização com outras quatro pessoas. Micheli Petrazzini e mais três amigos dela foram feridos com tiros na cabeça.

A mulher chegou a ser levada para o hospital, mas não resistiu.

A polícia informou que a quinta pessoa que também estava na casa não morreu porque, na hora dos tiros, estava no banheiro. À época do crime, a Polícia Militar (PM) disse que o homem tinha várias passagens pela polícia e que ele já havia ameaçado matar Micheli outras vezes.

Quando o crime aconteceu, João Paulo da Silva estava separado da Micheli há pelo menos dois meses.

Portal Guaíra com informações do G1