ad
Caixa lucra R$ 4,2 bilhões

A Caixa Econômica Federal lucrou R$ 4,2 bilhões nos nove primeiros meses deste ano. O valor representou um aumento de 18% sobre o resultado de igual período do ano passado, segundo comunicado divulgado pelo banco nesta segunda-feira (19). Ainda segundo a instituição financeira, é o maior lucro apurado nos nove primeiros meses do ano da história da Caixa.

O lucro líquido do terceiro trimestre foi de R$ 1,4 bilhão, com crescimento de 4,6% em relação ao registrado no mesmo período de 2011.

De acordo com a Caixa, sua participação de mercado atingiu 14,5%, com uma expansão de 2,7 pontos percentuais em 12 meses.

Crédito
A carteira de crédito da Caixa encerrou setembro com R$ 324,5 bilhões, valor 43% superior ao do mesmo período do ano passado. “O resultado foi impulsionado pelo Programa Caixa Melhor Crédito, lançado em abril deste ano”, diz o banco.

A Caixa informa que a carteira de crédito com recursos livres cresceu 52,6% em 12 meses, alcançando R$ 109,1 bilhões. O maior avanço ocorreu nas operações para pessoas jurídicas, que cresceram 58,7%, para R$ 58,9 bilhões. Entre as pessoas físicas, a alta foi de 46%, para R$ 50,2 bilhões.

Em relação aos recursos direcionados, a carteira imobiliária atingiu R$ 190,6 bilhões em setembro de 2012, aumento de 34,9% em 12 meses.

No financiamento de infraestrutura, como saneamento e redes de transportes urbanos, o saldo dessas operações ficou em R$ 22,3 bilhões, expansão de 55,9% em 12 meses.

A carteira de crédito imobiliária evoluiu 34,9% em um ano e fechou o mês de setembro com saldo de R$ 190,6 bilhões, o que representa 71,5% de todo o mercado. “No período, a Caixa realizou operação de securitização da carteira habitacional, no valor de R$ 2,5 bilhões, contabilizado em Operações de Crédito Vinculadas à Cessão”, diz o banco.

De acordo com o presidente da Caixa, Jorge Hereda, “os números apresentados ao longo desses nove meses (…) refletem o resultado da estratégia da Caixa de oferecer as melhores taxas e tarifas do mercado”, afirma.

O banco informa que a inadimplência ficou em 2,06%, “mantendo-se estabilizada”.

No trimestre, os contratos comerciais com pessoas físicas somaram R$ 22,7 bilhões, evolução de 37,1% em 12 meses. As contratações com clientes dos segmentos de renda básica atingiram R$ 2,25 bilhões, evolução de 18% sobre o mesmo período de 2011. As contratações com pessoas jurídicas atingiram R$ 21,8 bilhões no período, diz o banco.

As contratações imobiliárias apresentaram volume de R$ 28 bilhões, expansão de 25% sobre o terceiro trimestre de 2011.

O banco já havia informado que, até outubro, atingiu R$ 80,2 bilhões de crédito imobiliário.

Os financiamentos totalizaram R$ 23,5 bilhões e os subsídios do FGTS somaram R$ 1,7 bilhão.

As operações com recursos das cadernetas de poupança (SBPE) totalizaram R$ 13,7 bilhões, enquanto as linhas que utilizam recursos do FGTS, incluindo os subsídios, alcançaram R$ 10,1 bilhões.

O índice de Basiléia da Caixa, que acabou de passar por uma capitalização, alcançou 12,6%.


ad