(Foto: Elaine Menke/Câmara do Deputados)

Em meio às negociações para aprovação da PEC do Estouro, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), obteve na terça-feira (22) o compromisso, pelo menos, do PDT e do Republicanos de apoio a sua reeleição ao comando da Casa.

Com isso, essas bancadas abrem mão de lançar candidaturas próprias nas eleições para presidente da Câmara, em fevereiro de 2023.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Lira esteve reunido com lideranças de diferentes partidos. Após o encontro, o líder do PDT na Câmara, deputado federal André Figueiredo (CE), afirmou à CNN que a bancada decidiu votar a favor da reeleição.

Como parte da articulação está o apoio do presidente da Câmara com a tramitação da PEC do Estouro, que irá garantir o pagamento de Auxílio Brasil de R$ 600.

“Este apoio é para implementar reformas necessárias, é pela valorização do mínimo, dar todas condições indispensáveis para viabilizar os programas de governo”, disse Figueiredo. De acordo com o líder, a formalização do voto do partido em Lira deve ocorrer no início de dezembro, em reunião da executiva do PDT.

Já o Republicanos emitiu nota oficial em que também se compromete com a reeleição de Lira, decisão já ratificada pelo presidente da legenda, o deputado federal Marcos Pereira (SP). O partido, que hoje apoia o governo Jair Bolsonaro, declarou independência na próxima legislatura.

“O Republicanos decidiu, por unanimidade, atuar na próxima legislatura de forma independente no Congresso Nacional, sem se negar ao diálogo e à colaboração. O partido seguirá mantendo o apoio às propostas que sejam positivas para a população brasileira”, afirmou em nota.

Perguntado pela CNN se o partido apoia a PEC do Estouro, o presidente da legenda, Marcos Pereira, destacou que falta conhecer o texto. “Vou avaliar o texto e discutir com a bancada. Não posso externar opinião de algo que não temos texto”, disse.

Portal Guaíra com informações da CNN