O secretário de Controle e Transparência do Espírito Santo, Edmar Moreira Camata, será o novo-diretor geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF), anunciou na terça-feira (20) o futuro ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino. Ele também anunciou o advogado criminalista Augusto de Arruda Botelho para a Secretaria Nacional de Justiça.

Formado em direito e servidor concursado da PRF desde 2006, Camata é mestre em políticas anticorrupção pela Universidade de Salamanca, na Espanha, e sucederá a Silvinei Vasques, exonerado na terça-feira pelo presidente Jair Bolsonaro e réu por improbidade administrativa por pedir votos para o candidato à reeleição no segundo turno da campanha presidencial.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Candidato a deputado federal não eleito nas eleições deste ano, Augusto de Arruda Botelho foi advogado de réus da Lava Jato e um dos principais críticos da operação. Como secretário nacional de Justiça, Botelho promoverá a política de Justiça da pasta e cuidará de questões como o fechamento de acordos internacionais e o acolhimento a refugiados.

Flávio Dino também anunciou a composição da cúpula da Polícia Federal (PF), que estará sob o comando do delegado Andrei Passos Rodrigues. Segundo o futuro ministro, a PF atuará com mais “complexidade e densidade” no próximo governo. Será criada uma diretoria exclusiva para Amazônia e Meio Ambiente.

Confira os nomes anunciados na terça-feira:

•   Diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal: Edson Camata, secretário de Controle e Transparência do Espírito Santo. Servidor concursado da PRF, mestre em políticas anticorrupção pela Universidade de Salamanca, com especializações em gestão integrada em segurança pública e em ministério público e defesa da ordem jurídica.

•   Secretaria Nacional de Justiça: Augusto de Arruda Botelho, advogado criminalista, especialista em direito penal econômico pela Universidade de Coimbra (Portugal), em direito penal pela Universidade de Salamanca e mestrando em direito penal Econômico pela Fundação Getulio Vargas. Candidato a deputado federal não eleito pelo PSB.

Cúpula da Polícia Federal:

•   Ricardo Saadi, delegado: Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado;
•   Ademir Dias Cardoso Junior: Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação;
•   André Luis Lima Carmo: Diretoria de Administração e Logística;
•   Guilherme Monseff de Biagi: Diretoria de Gestão de Pessoas;
•   Helena de Rezende: Corregedoria-Geral
•   Humberto Freire de Barros: Diretoria da Amazônia e Meio Ambiente;
•   Luciana do Amaral Alonso Martins: Diretoria de Ensino;
•   Luiz Eduardo Navajas Telles Pereira: Chefia de Gabinete;
•   Otávio Margonari Russo: Diretoria de Combate a Crimes Cibernéticos;
•   Roberto Reis Monteiro Neto: Diretoria da técnico-científica da PF;
•   Rodrigo de Melo Teixeira: Diretoria de Polícia Administrativa;
•   Rodrigo Morais Fernandes: Diretoria de Inteligência da PF;
•   Valdecy Urquiza: Diretoria de Cooperação Internacional.

Portal Guaíra com informações da EBC