Uma soldada da Polícia Militar do Maranhão foi presa em São Luís após se recusar a ficar mais tempo no trabalho. Tatiane Alves já tinha cumprido a carga horária e precisava amamentar o filho, um direito garantido por lei. No entanto, foi detida por desobediência e conduzida ao Comando Geral da PM. Tatiane ficou 24 horas presa e longe do filho, de 2 anos de idade.

O caso aconteceu em 5 de setembro e o marido da soldada filmou o momento que a mulher foi presa. Antes desse caso, a vítima foi transferida de cidade após denunciar casos de assédio moral e psicológico dentro da Polícia Militar maranhense, na cidade de Imperatriz. Na situação atual, Tatiane era lotada no Batalhão de Policiamento Turístico (BPTur), responsável pelo Centro Histórico de São Luís.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O superior da soldada teria questionado a mulher se ela poderia trabalhar além do horário previsto. Tatiane negou o pedido, justificando cansaço – não tinha se alimentado direito naquele dia – e que precisava amamentar o filho. Diante da recusa, foi presa em flagrante por desobediência.

Após a situação, Tatiane foi remanejada para a patrulha Maria da Penha. O trabalho não foi iniciado, pois foi afastada para tratamento psicológico. A Polícia Militar afirmou, em nota, que apura o caso na Corregedoria da corporação. A PM não respondeu, até a exibição da reportagem, se tomará medidas contra o tenente que cometeu o abuso.

Portal Guaíra com informações do SBT News