A justiça federal do Acre condenou a empresa Telexfree a ressarcir todos os investidores, que eles chamavam de divulgadores, além de pagar multa de R$ 3 milhões por criar um esquema de pirâmide financeira disfarçado de marketing multinível. A decisão é válida para todo o Brasil.

A sentença, da juíza Thaís Khalil, estabelece que os investidores terão direito a receber de volta o que pagaram a título de Fundo de Caução Retornável e de kits de contas VoIP não ativadas, descontadas as bonificações, gratificações e comissões de venda que tenham ganhado. Os lucros prometidos – principal chamariz do negócio – ficam de fora.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Uma das responsáveis iniciais pelo processo contra a Telexfree, a promotora Alessandra Marques diz ainda não ser possível saber se os recursos da empresa e dos sócios – Carlos Roberto Costa, Carlos Nataniel Wanzeler e James Matthew Merril – serão suficientes para ressarcir os investidores, mas acredita que sim. Cerca de R$ 700 milhões foram congelados pela Justiça em 2013.

Em Assis Chateaubriand, estima-se que a Telexfree tenha atraído mais de 300 pessoas e quando o golpe desmoronou, em 2013, acreditava-se que o valor perdido pelos chateaubriandenses chegasse à casa de R$ 2 milhões. Alguns deles já manifestavam o interesse na quinta-feira em se habilitar no processo para serem ressarcidos dos prejuízos.Para reaver o dinheiro aplicado no negócio, cada investidor deverá entrar com uma ação de liquidação de sentença no local onde mora, não sendo necessário ir até Rio Branco, capital do Acre.

telexfree

Portal Guaíra com informações da Radio Jornal AM