A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) retirou na quarta-feira (17), a obrigatoriedade do uso de máscaras em aeroportos e aeronaves, ainda assim a Anvisa segue recomendando o uso nesses ambientes.

A medida estava em vigor desde 2020.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Os cinco diretores da agência – o relator, Alex Machado Campos, Daniel Pereira, Rômison Rodrigues Mota, Meiruze Sousa Freitas e Antônio Barra Torres – foram unânimes ao votar pela retirada da obrigatoriedade das máscaras.

Segundo a agência, o cenário epidemiológico atual permite que algumas medidas sanitárias sejam atualizadas, como o uso obrigatório das máscaras.

No entanto, reforça que o uso de máscaras faciais e o distanciamento físico são medidas efetivas de mitigação do risco de transmissão da doença e continuarão a ser recomendadas.“Diante do atual cenário, o uso de máscaras, adotado até então como medida de saúde coletiva, é convertido em medida de proteção individual”, diz o documento.

Em maio deste ano, a Anvisa liberou o serviço de bordo em aeronaves, mas manteve o uso de máscaras em aviões e áreas restritas de aeroportos.

Na época, o retorno do uso da capacidade máxima para transporte de passageiros também foi autorizado.

A Anvisa manteve as seguintes medidas: Disponibilização de álcool em gel em aeroportos e aeronaves;

Procedimentos de limpeza e desinfecção;

Sistemas de climatização;

Desembarque por fileiras;

Avisos sonoros com adaptações, recomendando o uso de máscaras, especialmente por pessoas vulneráveis.

Atualmente, países como Estados Unidos, França, Reino Unido e Portugal não exigem o uso de máscaras em aeroportos e aeronaves.

Portal Guaíra com EBC