Nas últimas 72 horas, as buscas na internet sobre covid-19 atingiram no Brasil o menor nível desde 11 de março, quando a situação de pandemia foi declarada pela OMS (Organização Mundial da Saúde). É o que diz análise feita pela consultoria Bites.

Numa escala de 0 a 100 do Google, a taxa média dos últimos dias ficou em 4. O pico (100) foi alcançado em 21 de março.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Segundo a consultoria, os brasileiros com acesso à internet estão hoje mais distantes do assunto do que o resto do planeta. A média global de interesse nos assuntos relativos à pandemia, de acordo com os dados do Google, é superior a 10.

TWITTER
O interesse nas pesquisas pela doença causada pelo novo coronavírus também está em baixa na rede social. De acordo com levantamento da Bites, o mundo publicou até hoje 1 bilhão de tweets sobre o vírus. Nos Estados Unidos, foram 206 milhões de posts, 40 milhões no Reino Unido e o Brasil ficou em 3º com 37 milhões.

A redução das publicações foi de 91% nesta 4ª feira (19.ago.2020) em relação a 13 de março, quando foram produzidos 24 milhões de tweets sobre o coronavírus. Considerando 1 dia sobre o outro, a partir de 11 de março, essa taxa nunca havia sido atingida. Esse movimento foi acompanhado de maneira mais tímida pela mídia profissional e alternativa no Brasil.

Em maio, 26% dos artigos produzidos no país tratavam da covid-19. Em junho, a taxa foi para 23%. Caiu para 22% em julho e hoje está em 17%. Nesse intervalo, os veículos nacionais produziram 1,1 milhão de artigos sobre a pandemia do total de 4,9 milhões do universo total.

As informações são do Poder360