Um homem foi preso pela Polícia Militar em Araguaína, no norte do Tocantins, após tentar votar duas vezes nas eleições municipais deste domingo (15). O caso foi registrado durante a tarde de votação no Colégio Estadual Augusto. De acordo com a PM, para tentar ir à urna novamente, o eleitor disse para os mesários que quem votou da primeira vez foi um irmão gêmeo.

De acordo com a PM, o homem votou pela manhã e voltou à tarde para tentar votar novamente. Só que a tentativa de fraude foi verificada pela mesária.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O eleitor negou que estivesse tentando enganar a Justiça Eleitoral e colocou a culpa em um suposto irmão gêmeo. Ele foi levado para o plantão eleitoral da Polícia Federal, onde foi preso em flagrante e vai responder por crime eleitoral, podendo pegar até três anos de prisão.

71 ocorrências nas eleições
A Polícia Militar registrou 71 ocorrências relacionadas a crimes eleitorais neste domingo (15), durante as eleições municipais no Tocantins. De acordo com a PM, 56 pessoas foram presas ou levadas para prestar esclarecimentos na delegacia. Entre os casos registrados estão seis supostas tentativas de homicídio contra candidatos, que agora serão investigadas pela Polícia Civil.

Foram registrados 52 crimes eleitorais como boca de urna (18), compra de votos (11), desobediência às ordens da justiça (12), desordem (6), falsidade ideológica (1) e transporte de eleitores (3), além de dois incêndios próximos de locais de votação.

A polícia informou que dez pessoas foram autuadas por crimes comuns, mas relacionados às eleições: cinco por ameaça, dois por furto, uma lesão corporal e vias duas fato. Uma dessas brigas aconteceu em um loca de votação em Nova Olinda, no norte do estado, após o desentendimento entre um servidor da Justiça Eleitoral, um candidato a vereador e um advogado.

A Operação Eleições 2020 foi realizada pela Polícia Militar durante todo o fim de semana. A ação teve um efetivo de 1.650 militares nos 139 municípios. Foram apreendidas quatro armas, R$ 3.421 em dinheiro, seis veículos e cerca de cinco mil materiais de campanha.

Para o comandante geral da Polícia Militar no Tocantins, coronel Jaizon Veras Barbosa, a eleição foi considerada tranquila. “Eleições municipais costumam ser bastante acirradas, e este ano podemos dizer que apesar dos registros, tivemos um pleito tranquilo”, destacou.

Portal Guaíra com informações do G1