O deputado Baleia Rossi (MDB-SP) no plenário da Câmara dos Deputados em abril deste ano — Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados

ad

Em convenção nacional em Brasília, o MDB elegeu no domingo (6) o deputado federal e líder da legenda na Câmara dos Deputados, Baleia Rossi (SP), como presidente nacional do partido para um mandato de dois anos. Do total de 319 votos, 311 foram para a chapa de Baleia Rossi.

Baleia Rossi substituirá o ex-senador Romero Jucá (RR), que comandava o partido desde o licenciamento do ex-presidente Michel Temer, em abril de 2016. Jucá disputou as últimas eleições, mas não conseguiu ser reeleito senador por Roraima.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O ex-presidente Michel Temer não participou da convenção, que contou com a presença do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o ex-deputado federal e ex-ministro Bruno Araújo (PE), presidente do PSDB.

Em discurso durante a convenção, Baleia Rossi afirmou que o MDB precisa escolher suas “bandeiras” e saber que “é possível viver sem governo”.

“Nosso partido foi até conhecido como o partido da governabilidade, mas, por isso, nós pagamos um preço muito alto também. Precisamos escolher nossas bandeiras, ter a nossa identidade, precisamos saber que é possível viver sem governo. Precisamos de agenda, mas não precisamos de governo para sobreviver, porque o MDB é maior do que isso”, disse.

Renovação
A necessidade de mudança e renovação do partido foi o assunto mais tratado durante os discursos na convenção. Com a eleição deste domingo, a direção executiva da legenda será formada por políticos que jamais haviam ocupado postos na cúpula nacional.

O discurso de renovação, no entanto, chegou a ser criticado nos bastidores já que Baleia Rossi chegou à presidência do partido com o apoio de integrantes tradicionais do partido como Romero Jucá e os senadores Eduardo Braga (AM) e Renan Calheiros (AL).

Sobre esse apoio, o ex-ministro Moreira Franco afirmou que não se cria uma liderança política “da noite para o dia”.

“É uma questão de fazer diferente. Temos que entender, e digo para todos, os com mais idade, com mais experiência, e os mais novos, que nós temos que fazer diferente, não se cria uma liderança política da noite para o dia”, afirmou.

Segundo o ministro, o MDB não se saiu bem nas últimas eleições e a nova presidência do partido deve ampliar o diálogo com a base do MDB.

Em 2018, o MDB foi partido que teve a maior queda nas eleições para as assembleias legislativas nos estados.

No mesmo ano, o partido elegeu 3 dos 14 candidatos a governador, levou 34 deputados para a Câmara, na eleição de 2014 foram 66. No Senado, o partido elegeu 7 senadores. Em 2010, última eleição na qual 2/3 da Casa também foram renovados, a sigla havia eleito 14 senadores.

Mutirão de emprego
Ao chegar para a convenção, Baleia Rossi afirmou que o MDB vai propor ao ministro da Economia, Paulo Guedes, um grande “mutirão de emprego”. Segundo ele, com o uso de recursos de fundos que estão parados, como o Fundo Penitenciário Nacional, é possível gerar cerca de um milhão de empregos em todo o Brasil.

“Em uma parceria com os 5.570 municípios vamos propor uma grande frente de trabalho, trabalho simples de zeladoria, cuidar da cidade, varrer rua, cuidar das praças, para emergencialmente podermos criar mais de um milhão de empregos. Dinheiro para isso há, temos muitos fundos que não são utilizados para nada e que não justifica ter desemprego, aumento da pobreza e o governo ter nesses fundos bilhões de reais parados”, afirmou.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), atualmente, o desemprego atinge 12,6 milhões de pessoas no país.

Perfil
Baleia Rossi foi eleito deputado federal em 2014 e reeleito em 2018. É presidente do MDB em São Paulo e líder do partido na Câmara. Ele é filho do ex-ministro da Agricultura Wagner Rossi.

Em abril deste ano, o deputado apresentou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma tributária que está sendo discutida na Câmara. A proposta tem como referência sugestões do Centro de Cidadania Fiscal (CCiF), cujo diretor é o economista Bernard Appy.

Comissão Executiva Nacional eleita neste domingo (6)
Presidente: deputado federal Baleia Rossi (SP)
Primeiro vice-presidente: senador Confúcio Moura (RO)
Segundo vice-presidente: deputado federal Carlos Chiodini (SC)
Terceiro vice-presidente: ex-deputado federal Daniel Villela (GO)
Secretário Geral: deputado federal Newton Cardoso Júnior (MG)
Primeiro Secretário: deputado estadual Gabriel Souza (RS)
Segundo Secretário: Washington Reis (RJ), prefeito de Duque de Caxias
Tesoureiro: senador Marcelo Castro (PI)
Tesoureiro-adjunto: deputado federal Raul Henry (PE)

Portal Guaíra com informações do G1