Foto: Fabio Matavelli / Rede Massa
ad

[dropcap color=”#dd3333″]E[/dropcap]nquanto a Polícia Civil de Campo Largo prepara o inquérito policial sobre o grave acidente que causou a morte de quatro pessoas na BR-277, em Balsa Nova, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) avalia o que causou a colisão entre 10 caminhões e cinco carros. A dinâmica do acidente ainda não foi totalmente identificada, mas já é possível afirmar que vários fatores contribuíram para a tragédia da última terça-feira (06).

“Um caminhão saiu da pista e começou uma lentidão no trânsito, com motoristas curiosos. Outros caminhões vieram e ocorreram as colisões. Alguns tentaram desviar, mas também colidiram”, comentou o chefe da Delegacia Metropolitana da PRF, Antônio Figueiredo. Além disso, no começo da tarde de terça-feira, a pista estava molhada e havia bastante neblina no Km 136 da rodovia sentido Ponta Grossa – onde tem uma curva.

Um fator a ser verificado é a velocidade em que estavam os veículos envolvidos no acidente. A velocidade máxima no trecho é 80 Km/hora, que pode ser ainda menor devido às condições meteorológicas. “É preciso verificar se os motoristas dirigiam defensivamente”, comentou o delegado. Ele ressalta que a direção defensiva permite que, caso aconteça um imprevisto, o motorista consegue evitar um acidente ou minimizar a gravidade das situações. “Um conjunto de fatores agravou a situação do acidente”.

Incêndio
As análises do acidente permitiram verificar ainda que a tragédia poderia ter sido maior. Um caminhão tanque que estava carregado incendiou apenas por fora e todo o combustível que era transportado ficou intacto, o que evitou uma explosão de proporções inimagináveis.

“Um carro incendiou próximo ao tanque de combustíveis, o fogo passou para o caminhão e o tanque só incendiou por fora. No primeiro momento havíamos imaginado que tinha explodido um dos tanques, mas verificamos que a carga ficou intacta”, disse Figueiredo. Além do automóvel, outros três caminhões foram incendiados.

Vítimas
Entre as quatro vítimas fatais, três estavam nos carros envolvidos no acidente e duas morreram carbonizadas. A outra vítima é um menino de 9 anos de idade que estava em um dos caminhões que pegou fogo. Ele desceu do veículo e foi atropelado.

A mãe do menino, uma jovem de 25 anos, também foi atropelada e teve ferimentos leves. Grávida de seis meses, ela foi encaminhada para o Hospital Rocio, em Campo Largo, e recebeu alta na tarde desta quarta-feira (7). A jovem teve uma fratura no punho e escoriações pelo corpo. O bebê passa bem.

Além dela, um homem de 57 anos foi levado ao hospital de Campo Largo. Ele continua internado com fraturas no joelho e antebraço. O paciente passou por uma cirurgia nesta tarde e seu quadro de saúde é estável.

Entre os três feridos que foram encaminhados para o Pronto Socorro Municipal de Ponta Grossa, dois já receberam alta: uma jovem de 25 anos e um homem de 56. O paciente que continua internado tem 57 anos e não corre riscos.

Portal Guaíra com informações da Rede Massa


CLINICA SALUTAR