A BR-163, entre Cascavel e Capitão Leônidas Marques, no oeste do Paraná, é considerada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) o trecho da rodovia mais perigoso da região. Flagrantes de desrespeito a sinalização e ultrapassagens em locais proibidos são frequentes, assim como os acidentes.

Na tarde de terça-feira (12), três caminhões e um carro se envolveram em um acidente e filas de mais de 10 quilômetros se formaram nos dois sentidos. Uma pessoa ficou ferida.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

De acordo com a PRF, desde o começo deste ano foram registrados 63 acidentes, 29 pessoas ficaram feridas e duas morreram. O número é menor do que do ano passado, mas os acidentes estão cada vez mais graves.

A rodovia é uma das principais ligações entre o Mato Grosso do Sul e Santa Catarina e por isso é usada para o escoamento de grãos e produtos. O trecho não é duplicado. “Tem que andar muito tranquilo e bem devagar”, comenta o caminhoneiro Ivo Buche.

Obras de reparo nas pistas estão sendo feitos desde 2013 e de acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), os trabalhos só devem ser finalizados em 2018.

Todavia, o asfalto em melhor estado de conservação faz também com que os motoristas aumentem a velocidade. “Manter uma pista bem sinalizada e livre de buracos com certeza são preponderantes para uma condição segura, mas é preciso a colaboração dos motoristas em usar adequadamente a via”, explica o policial Ricardo Schneider.

Conforme o Dnit, o projeto de duplicação da BR-163, entre Cascavel e Marmelândia, está em fase final, mas as obras ainda não tem data para começarem.

BR-163-TRECHO-CASCAVEL-CAPITAO-LEONIDAS-MARQUES

BR-163-TRECHO-CASCAVEL-CAPITAO-LEONIDAS-MARQUES-2

BR-163-TRECHO-CASCAVEL-CAPITAO-LEONIDAS-MARQUES-3

BR-163-TRECHO-CASCAVEL-CAPITAO-LEONIDAS-MARQUES-4

Portal Guaíra com informações do G1