Durante coletiva de imprensa realizada na manhã desta sexta-feira (25), na sede do Batalhão de Polícia de Fronteira, o comandante da unidade, major Erich Wagner Osternack, apresentou o relatório de ações desenvolvidas pelas equipes policiais nos seis meses de atuação e existência em Marechal Cândido Rondon e região.

O comandante do BPFron, major Erich Wagner Osternack
O comandante do BPFron, major Erich Wagner Osternack

Lançado em 25 de julho de 2012 no município rondonense, o primeiro batalhão militar fronteiriço do Brasil atende uma faixa de fronteira legalmente constituída por 150 quilômetros, compreendendo quase um 1/3 do território paranaense e envolve 139 municípios. Segundo o major Osternack, neste primeiro trabalho o BPFron procurou focar as cidades da linha de fronteira concentrando os esforços principalmente em Foz do Iguaçu até Guaíra e nos municípios onde há um índice alto de criminalidade.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

“Tivemos resultados bastante expressivos em vista dos meios que dispomos. Hoje contamos com 120 policiais militares, sendo que quando foi implantada a unidade só havia 90, e em breve teremos um incremento ainda maior para o lançamento da 2ª Companhia de Fronteira no município de Guaíra que deverá ocorrer ainda no primeiro trimestre deste ano. Logo em seguida, também está prevista a inauguração da 3ª Companhia de Fronteira na cidade de Santo Antônio do Sudoeste até a metade do ano”, comenta

Em apenas seis meses de atividade, o BPFron abordou 31.236 pessoas, prendeu 87 e apreendeu 18 menores. e apreendeu 20 armas de fogo. O major Osternack enfatiza que os dados podem ser amplamente comemorados pela Polícia Militar do Paraná, já que os efeitos da criação do BPFron estão sendo sentidos pela população da região.

Desde a sua implantação, também já foi apreendido mais de R$ 1 milhão em cigarros contrabandeados do Paraguai. Em relação aos veículos foram vistoriados 8.797, o que implicou em 91 apreensões de carros em situação irregular e dez que tinham alerta de furto e roubo os quais acabaram sendo devolvidos aos donos.

Os policiais militares ainda apreenderam 599,53 quilos de maconha, 2.789 caixas de cigarros, 220 volumes de produtos contrabandeados do Paraguai, além de 20 armas de fogo, 513 munições e 23 simulacros. Foram cumpridos 20 mandados de prisão e houve a vistoria de 126 locais.

Ao longo dos seis meses, o batalhão realizou diversas operações como a “Operação Fronteira”, que durou 60 dias, em todos os municípios que compõem a faixa de fronteira do Paraná, realizando abordagem de pessoas e veículos, bloqueios e operações em conjunto com outros órgãos em busca da prevenção de crimes e a inibição da entrada de produtos contrabandeados no Brasil.

Fonte: O Presente