Todas as mortes ocorridas dentro da boate Kiss durante o incêndio do dia 27 de janeiro foram causadas por asfixia provocada pela inalação dos gases tóxicos cianeto e monóxido de carbono.

É o que o comprovam os laudos da necropsia entregues na sexta-feira (15) à polícia pelo Instituto-Geral de Perícias (IGP) em Santa Maria, Rio Grande do Sul. Os documentos também sustentam a tese de superlotação da casa noturna no dia da tragédia.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Segundo a legista-chefe do Departamento Médico Legal (DML) de Santa Maria, Maria Ângela Zuchetto, a conclusão foi baseada nos laudos de 234 das 241 vítimas da tragédia: 12 deles já haviam sido entregues. Outas sete pessoas morreram durante o período que estavam internadas em hospitais e, por isso, não tiveram as causas da morte determinadas pelo IGP.

“Os nossos laudos confirmam a inalação de gases tóxicos em 100% das pessoas que morreram dentro da boate Kiss”, afirmou Zuchetto.

Fonte: G1