Não foi desta vez que um dos irmãos Diaz conquistou um título do UFC. Após Nick Diaz perder a chance de deter um cinturão, ainda que interino, contra Carlos Condit, no UFC 143, seu irmão mais novo, Nate Diaz , também falhou na hora mais importante de sua carreira. Diante do campeão dos pesos-leves, Ben Henderson, o pupilo do brasileiro Cesar Gracie não conseguiu impor seu estilo de luta e foi derrotado por decisão unânime dos juízes (50-43, 50-45 e 50-45). A vitória representou a segunda defesa de cinturão de Henderson, que já o havia mantido diante de Frankie Edgar, no UFC 150. Para Diaz, a derrota foi a oitava de sua carreira.

– Foi uma questão de estar bem preparado e estar com uma boa energia. Todos que estão aqui são bons lutadores, mas a diferença está nos detalhes. A luta de hoje foi disputada com o coração. Sei que todos esperam o melhor de mim, mas gostaria de dedicar essa vitória a um companheiro de treinos que está lutando contra um câncer. Há muito mais na vida do que lutar. Abracem seus entes queridos – disse o campeão após o combate.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

A luta

O primeiro round começou com Henderson aplicando chutes baixos. Mas, na terceira tentativa do campeão, Nate Diaz surpreendeu, encurtou a distância e levou a luta para a grade. O desafiante tentava a partir daí levar o duelo para o chão, mas o campeão conseguiu defender as quedas e manter o duelo em pé. Na metade do round, Henderson tentou o single leg e conseguiu uma bela derrubada. Muito veloz, o detentor do cinturão não permitia que Diaz dominasse a luta e tomasse a iniciativa do combate. No fim do round, os lutadores se encararam e tiveram que ser separados por Herb Dean.

O segundo round trouxe Ben Henderson agressivo, buscando abalar a confiança de Diaz com socos fortes, principalmente quando a luta foi para o chão e ele ficou em posição dominante, por cima do desafiante. Com menor envergadura, o campeão não dava espaço ao rival, evitando ser castigado no boxe. Após uma sequência surpreendente de socos na perna direita de Diaz, Henderson mudou a estratégia e acertou um forte cruzado no rosto do desafiante, que perdeu o equilíbrio e foi castigado no solo, e depois na grade. Com uma grande variação de golpes, o campeão dificultava a luta para o desafiante e somava pontos, além de deixar o rosto de Diaz bastante machuccado.

No terceiro round, o panorama da luta se manteve, com Henderson dominando as ações, tomando a iniciativa da luta e confundindo Nate Diaz com sua velocidade e variação de golpes. O desafiante teve uma boa oportunidade ao ter à sua disposição a perna do campeão, e tentar uma chave de calcanhar, mas Henderson conseguiu defender. Buscando desestabilizar o campeão psicologicamente, o desafiante provocava e fazia gestos, mas Henderson se mantinha concentrado e, a um minuto do fim do round, acertou um belo direto de direita que derrubou Diaz. A dez segundos do fim, um pisão acertou o rosto do desafiante e levantou o público, que gostava da luta.

No quarto round, em desvantagem, Diaz já mostrava cansaço, e Henderson aproveitou-se disso para derrubar o desafiante e levar a luta para o chão. Diaz recuperou-se, mas o campeão aplicou uma nova queda e dominou as costas, castigando o desafiante. Mais forte fisicamente, o dono do cinturão dominava o combate e dava poucas chances ao seu adversário. Com o rosto muito castigado, e já respirando pela boca, Nate Diaz tentou, sem sucesso, uma chave de braço a 1m30s do fim do round. Faltando 40s para acabar o quarto período, Diaz começou a chamar Henderson para a luta de chão, mas o campeão manteve sua concentração e seu plano de luta. Após soar o gongo, o campeão provocou o desafiante, pulando e mostrando não estar cansado.

O quinto e último round mostrou Henderson inteiro fisicamente, buscando a iniciativa do combate e também ditar o ritmo, enquanto Diaz buscava provocar o campeão, fazendo gestos antes de ser encurralado na grade e ser levantado e jogado no chão. Sobrando fisicamente, Henderson castigava com socos o desafiante, atingindo a marca de 122 golpes conectados, contra apenas 17 de Diaz. A 1m30s do fim, o campeão mais uma vez iniciou uma sequência de golpes tanto no chão quanto em pé, alternando socos e chutes que atordoavam Nate Diaz. Nos últimos segundos, Henderson baixou a guarda e encarou Diaz, que nada pôde fazer a não ser cumprimentar o ainda campeão dos leves do UFC.

Fonte:Globo.com