A vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, foi ameaçada com uma arma de fogo na noite de quinta-feira (1°), em frente à sua casa, em Buenos Aires. O principal suspeito da ação criminosa é Fernando Andrés Sabag Montiel. O brasileiro, de 35 anos, é nascido em São Paulo e vive no país vizinho desde 1993. Segundo o ministro de Segurança, Aníbal Fernández, o suspeito tem registro para trabalhar como motorista de aplicativo no país.

Ainda não foram divulgados detalhes sobre a motivação do crime. Conforme informações apuradas pelo R7, a arma em posse do suspeito estava carregada com cinco projéteis.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

Fernando Andrés Sabag Montiel

O brasileiro já possui passagens pela polícia e foi autuado por contravenção em 2021, portando uma faca de 35 centímetros em seu veículo sem placa. Na época, Fernando disse para os policiais que a placa caiu após um acidente de trânsito e a faca era para sua defesa pessoal, informou o jornal argentino Clarín.

O homem se identificava em seus perfis nas redes sociais como Salim, onde ele gostava de exibir suas várias tatuagens, entre elas um Sol Negro. O símbolo era usado por povos nórdicos antigos e celtas, mas na cultura atual é associado ao nazismo.

Atentado contra Cristina Kirchner

O incidente ocorreu na entrada da casa de Cristina em Buenos Aires, onde centenas de manifestantes se reuniram nos últimos dias para apoiar a ex-presidente, que está em meio a um julgamento por acusação de corrupção. O ministro da Economia do país, Sergio Massa, chamou o incidente de “tentativa de assassinato”.

As imagens da televisão mostraram um homem apontando uma arma para Cristina no meio da multidão, mas sem disparar nenhum tiro.

Portal Guaíra com informações do R7.com