deputado-andre-vargasA Câmara Municipal de Apucarana aprovou, durante a sessão de quarta-feira (22), um projeto de lei que revoga o título de cidadão honorário do ex-deputado londrinense André Vargas (sem partido), preso no último dia 10 no desdobramento da 11ª fase da Operação Lava Jato, que investiga um esquema de corrupção dentro da Petrobras. “Ele não tem mais condições política, moral e ética para continuar com a honraria”, justificou o vereador Luiz Cordeiro Magalhães Filho (PT), autor do projeto que concedeu o título ao ex-parlamentar, em entrevista ao Bonde nesta quinta-feira (23).

O título de cidadão honorário a Vargas foi aprovado no início do ano passado. A honraria passou pelo crivo da Câmara de Apucarana, mas não foi entregue ao ex-deputado. “O Ministério Público pediu para que o título fosse repassado a ele só após as eleições, já que, no entendimento dos promotores, a homenagem poderia configurar campanha política”, explicou Magalhães.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

No entanto, André Vargas não chegou a disputar o pleito de 2014. Em abril do ano passado, a Polícia Federal divulgou a informação de que o ex-deputado teria usado um avião do doleiro londrinense Alberto Youssef, em janeiro, para viajar com a família a João Pessoa (PB). A ligação com o operador do esquema de corrupção da Petrobras fez com que Vargas fosse expulso do PT e tivesse o mandato de deputado cassado pela Câmara Federal. “Não entregamos o título depois das eleições e achamos melhor cancelá-lo agora”, afirmou o vereador de Apucarana, também autor do projeto de lei que prevê a revogação da honraria.

Na avaliação do parlamentar, a aprovação do título de cidadão honorário no ano passado foi justificada pelo trabalho que estava sendo feito por André Vargas “em prol do Paraná e de Apucarana”. “A honraria poderia ter estreitado a relação entre a cidade e o então deputado”, destacou.

O projeto de lei que revoga a homenagem foi aprovado em primeira turno na quarta-feira por unanimidade e deve voltar a ser discutido pela Câmara de Apucarana na próxima semana.

 

Portal Guaíra com informações do Bonde/CGN