ad

O vereador de Altônia, Alexandre José dos Santos (PSB), foi alvo de mandados judiciais na quarta-feira (28) por ser suspeito de estar envolvido em ações fraudulentas ajuizadas contra a Sanepar, Copel e TIM. As investigações da Polícia Civil (PC) apontam que ele seria responsável por recrutar as pessoas a moverem as ações contra as empresas, com a alegação de que seria possível ganhar dinheiro com a ação.

A atividade da Polícia Civil é um desdobramento de uma operação que foi deflagrada na manhã de terça-feira (27) para investigar possíveis fraudes em ações ajuizadas por dois advogados de Altônia, que foram presos. Os bens dos suspeitos foram bloqueados e seus celulares e documentos apreendidos.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

O nome do vereador foi citado nas investigações pelas testemunhas, que relataram terem sido induzidas por Alexandre a moverem as ações. Na terça-feira, 20 pessoas foram ouvidas pela Polícia Civil. Antes de ser vereador, Alexandre ocupava o cargo de conselheiro tutelar na cidade.

OBemdito tentou entrar em contato com a defesa do vereador, mas não obteve êxito. O espaço está aberto para manifestações.

A operação

Os dois advogados presos foram acusados de mover diversas ações indenizatórias de forma fraudulenta. Há mais de 3,8 mil processos ativos, sobrestados e arquivados contra as empresas Sanepar, Copel e TIM e. Destes, 95% foram ajuizados pelos investigados. A apuração da Polícia Civil indica que em alguns casos, havia pessoas que nem sabiam de seus envolvimentos nas ações movidas pelos advogados. Há também suspeitas de que os advogados tentavam induzir pessoas a propor ação contra as empresas.

A operação é comandada pelo Núcleo da Divisão de Combate à Corrupção (DCCO).

A operadora TIM enviou o seguinte posicionamento: “A TIM repudia qualquer atividade fraudulenta que envolva o judiciário e traga prejuízos aos seus clientes, por isto vem combatendo tais práticas em todo o Brasil. A operadora informa que irá colaborar com as investigações para esclarecer os fatos e auxiliar no combate a novas fraudes”.

A Copel informou que está colaborando com a investigação e segue acompanhando o trabalho da Polícia.

Portal Guaíra com informações do Obemdito