ad

[dropcap color=”#dd3333″]A[/dropcap] Polícia Civil de Altônia iniciou ainda na noite do domingo (20), a investigação de um duplo homicídio que aconteceu naquele município. O crime foi praticado por uma pessoa ainda desconhecida. A motivação do crime também é averiguada.

De acordo com o delegado Reginaldo Caetano, os investigadores continuam procurando pistas que possam levar à identificação do autor, que agiu acompanhado de um comparsa.

A dupla chegou à loja de conveniência ocupando uma motocicleta de cor escura. O passageiro desembarcou e entrou com uma arma em punho, deflagrando os disparos contra o casal. Rapidamente voltou à motocicleta e fugiu.

Imagens da execução
O delegado revelou também que imagens do sistema de monitoramento podem ajudar a identificar a dupla. “Nós colhemos imagens do sistema interno de monitoramento do estabelecimento que registrou a execução”, comentou Caetano, que reforça: “O uso de capacete e balaclava dificultam a identificação do autor da execução”.

Linha de investigação

Mas a linha de investigação a ser seguida ainda não está clara. Conforme afirma o delegado, não existem informações plausíveis que possam esclarecer ao menos quais foram os motivos do crime.

“Nós ainda estamos averiguando detalhes que poderão nos levar à motivação, mas até agora não temos nada esclarecido ainda”, ressalta.

O crime
O casal de namorados foi executado a tiros no início da noite quando estava no interior de uma loja de conveniência na avenida 7 de Setembro, centro de Altônia.

Giliardi Aparecido Coutinho, de 37 anos foi alvejado e sobreviveu inicialmente ao atentado, sendo socorrido e levado ao hospital daquele município. Já a namorada, Vasti Stóffel Faúla, entrou na frente dos tiros e também foi atingida. Ela não resistiu e morreu no local. Giliardi não resistiu aos ferimentos e morreu pouco depois que deu entrada no hospital.

Os corpos foram trasladados ao Instituto Médico legal (IML) de Umuarama, onde foram necropsiados e posteriormente liberados para os atos fúnebres.

9 milímetros
O local em que aconteceu o crime foi isolado pela Polícia Militar de Altônia até a chegada de peritos do Instituto de Criminalística de Umuarama, que fizeram um levantamento da cena do crime para que o corpo da garota pudesse ser liberado para o exame de necropsia. No local foram recolhidos estojos de cartuchos de calibre (dez cápsulas) de pistola de calibre 9 milímetros.

Antecedentes
O delegado de Altônia revela que as investigações mostraram alguns antecedentes criminais de Giliardi Aparecido Coutinho. “Nas verificações feitas junto ao Sistema Integrado de Informações da Polícia, descobrimos que o rapaz tinha alguns antecedentes criminais por envolvimento em crimes de estelionato”, revela. Ao ser questionado a respeito de uma suposta ligação entre os antecedentes e o crime, Caetano foi catedrático: “Não acredito em nenhuma ligação do crime com os antecedentes, é muito improvável”, encerra.

Portal Guaíra com informações do OBemdito


CLINICA SALUTAR