A Secretaria de Estado da Saúde lamenta o falecimento do servidor público do município e da dona de casa, moradores de Nova Cantu, em razão da dengue. Ao passo que ressalta, ainda, a importância e atenção ao assunto, com uma forte campanha de orientação sobre a necessidade de eliminação dos criadouros do mosquito.

Ações de orientação e mutirões estão sendo feitos por diversos profissionais, pelas Regionais de Saúde do Estado, numa força tarefa, de forma permanente, para superar este cenário preocupante.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

É importante destacar também que a utilização de produtos químicos para a eliminação do vetor não mostrou resultado, especialmente o Malathion, que foi testado em todas as regiões do país, uma vez que o mosquito já está resistente ao insumo.

O Ministério da Saúde, por meio das Notas Informativas nº 89 e nº 103, de 2019, desestimula a aplicação do controle químico por parte dos estados e municípios e incentiva a remoção mecânica dos criadouros.

O produto, além de não acabar com os ovos e larvas do mosquito, pode trazer prejuízos à saúde e ao meio ambiente e, por isso, não é recomendado ou recomendado em situações específicas, conforme a Organização Mundial da Saúde.

Somente hábitos de limpeza, retirada e eliminação de lixos, entulhos, qualquer objeto e recipientes que possam acumular água, devem ser removidos, principalmente em ambientes domésticos.

Na sexta-feira (6), a Secretaria da Saúde do Paraná publicou Nota Técnica (no. 07/CVIA/DAV/SESA) sobre Inseticidas Destinados ao Controle de Aedes Aegypti. No documento, a SESA “recomenda que os municípios não adquiram inseticidas/larvicidas diferentes daqueles preconizados pelo Ministério da Saúde para o uso no controle do mosquito transmissor da dengue”.

A Nota Técnica orienta que “é fundamental a utilização da estratégia de Manejo Integrado de Vetores, em que o uso de produtos químicos é apenas uma das ações a serem colocadas em prática e, salienta que a melhor estratégia para o controle é eliminar ou tratar os locais que podem acumular água e servir de criadouros”.

O Governo do Paraná continua em alerta e todas as secretarias de Estado participam efetivamente de ações de orientação e informação à população.

O Paraná registrou até a semana passada 1.869 casos confirmados de dengue e mais de 12 mil notificações para a doença. Este monitoramento começou em 28 de julho deste ano.

Portal Guaíra com informações da AEN-PR