ad

amamentandoSintomas como desmaio, vômito e diarreia parecem simples, mas podem fazer parte de uma intoxicação aguda, grande prejuízo causado pelo uso de agrotóxicos nos alimentos e que, na maioria das vezes, pode levar à morte. A preocupação com a utilização de herbicidas e inseticidas foi levantada ontem na Unioeste (Universidade Estadual do Oeste do Paraná) pelo doutor Wanderlei Antônio Pignati, que é professor adjunto da Universidade Federal de Mato Grosso e pesquisador da área.

No Mato Grosso ele desenvolveu uma pesquisa que provou contaminação no leite materno dos bancos de leite daquela região, por conta do uso exacerbado de veneno.

Segundo ele, os principais problemas estão na intoxicação crônica, por meio de microgramas que estão presentes nos próprios alimentos ingeridos, na água e no ar. “Doenças como câncer, má formação de crianças nascidas, diabetes, hipotireoidismo, irritabilidade, dentre outros problemas neurológicos são gerados dessa contaminação”, explica Wanderlei.

Para ele, medidas urgentes são necessárias, como cumprimento da legislação, proibir as pulverizações por avião e também proibir o uso no Brasil de agrotóxicos que já são vetados na União Europeia. “Se você adota, em sua propriedade, medidas de agroecologia para poupar o uso desses resíduos, sai mais caro, mas, pensando mais à frente, esse dinheiro será economizado no tratamento da saúde”, relata.

Fonte: Tatiane Bertolino/O Paraná


ad