O funeral do líder sul-africano Nelson Mandela, que morreu na quinta-feira (5) aos 95 anos em Pretória, deve durar 12 dias, segundo reportagem divulgada no site do jornal “The Guardian”. A publicação teve acesso a documento do Governo da África do Sul que estabelece o calendário provisório das cerimônias fúnebres, durante 12 dias a partir do momento da morte.

Elaborados há mais de um ano, os papéis fornecem uma planejamento preliminar e uma visão de como as autoridades estão se preparando para um momento histórico único, destaca a reportagem.

-------------- Notícia continua após a publicidade -------------

mandela

Na quinta-feira (5), o presidente da África do Sul, Jacob Zuma, disse “ao nosso amado Madiba será concedido um funeral com honras de chefe de estado”.

Segundo o jornal, o funeral deve entrar para a história como um dos maiores eventos já realizados no continente. A organização necessária para prepará-lo tem sido comparada à abertura e encerramento da Copa do Mundo de 2010, a uma posse presidencial e a uma coroação, todas juntas.

O evento deve rivalizar com o funeral do Papa João Paulo II, em 2005, que contou com a presença de cinco reis, seis rainhas, 70 presidentes e primeiros-ministros, além de 2 milhões de fiéis. O equivalente britânico mais próximo pode ter sido o enterro do chefe de estado Winston Churchill, em 1965, assinala o “Guardian”.

São esperados todos os ex-presidentes americanos ainda vivos, chefes de estado de todos os lugares do mundo e celebridades que se consideravam próximas a Mandela. A presidente Dilma Roussef deve participar do funeral.

De acordo com o jornal, tamanho evento necessitará de um planejamento sem precedentes na África do Sul, no momento em que o país está mergulhado no luto pela perda de seu maior líder.

Fonte: G1