(Foto: Rede Massa)
ad

Foi deportado para o Brasil, na segunda-feira (11), um dos principais líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC), o brasileiro Thiago Ximenes, mais conhecido como “Matrix”. O traficante de drogas, que atuava na fronteira com o Mato Grosso do Sul, foi preso na sexta-feira (8), pela polícia paraguaia e trazido para Foz do Iguaçu.

Segundo informações, Matrix fugiu de uma prisão argentina, em 2013, e foi para o Paraguai. Em 2014, ele foi acusado de participar de um assalto milionário, em Foz do Iguaçu, e fugiu para o Paraguai novamente, onde foi preso e condenado a 20 anos de prisão por assalto e sequestro. Em dezembro do ano passado, ele e o comparsa, o brasileiro Reinaldo Araújo, fugiram da Agrupación Especializada, sede da Fope, grupo de elite da Polícia Nacional. 18 policiais paraguaios foram presos acusados de facilitar a fuga do traficante.

Na terça-feira (5) de Carnaval, equipes da Fope encurralaram os dois brasileiros em um acampamento de cultivo e empacotamento de maconha, na Zona Rural de Vila Ygatimí, a 90 km de Paranhos, no Mato Grosso do Sul. Reinaldo morreu em um confronto com policiais. Matrix foi capturado depois de ficar três dias na mata, sem água e comida. O bandido foi encontrado pelos policiais e preso sem apresentar reação.

O avião que trouxe o traficante dos arredores de Assunción, a capital do país vizinho, chegou em Foz do Iguaçu, por volta das 15h30. O bandido foi entregue aos policiais federais na aduana da Receita Federal da Ponte Internacional da Amizade, em Foz do Iguaçu, na fronteira com Ciudad del Este.

Ele foi encaminhado para a Delegacia da Polícia Federal, mas até o momento não há informações para onde ele será transferido por motivos de segurança.

Portal Guaíra com informações do Campo Grande News


CLINICA SALUTAR