ad

[dropcap color=”#eeee22″]O [/dropcap]governador Beto Richa (PSDB) disse que não vai opinar na formação do novo governo, da vice Cida Borghetti (PP) que assume o Palácio Iguaçu a partir de sexta-feira (6). Richa vai renunciar para disputar a eleição a uma das duas vagas paranaenses em disputa no Senado neste ano. O tucano garante que nenhum nome do novo secretariado foi divulgado por Cida.

“Não tenho ideia. Honestamente, pode não acreditar, mas eu não sei de nenhum nome, não vazou até agora nenhum nome que será indicado pela governadora Cida Borghetti. Ou eles não escolheram ainda ou eu não sei”, garante.

Cida Borghetti não fala sobre as indicações. Os nomes dos novos secretários e diretores das autarquias devem ser divulgados somente na data da posse.

O deputado Dilceu Sperafico, do PP, que chegou a ser cogitado como chefe da Casa Civil do governo Cida Borghetti, foi eleito, na terça-feira (03), presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Social da Câmara Federal. Isso indica que ele permanecerá deputado nos nove meses do novo governo.Seis secretários do governo Beto Richa já anunciaram que saem na sexta-feira para disputar as eleições.

Richa afirma que são 17 integrantes do Executivo que são candidatos. “Muitas pessoas saem do governo. São 17, entre empresas públicas e secretarias que são candidatos nas eleições neste ano. Que por uma razão ou outra estão saindo. São 17 posições. Ela (Cida) tem toda liberdade para escolher sua equipe. Não há nem necessidade de transição porque ela participou de todas as decisões”, diz.

A lei eleitoral exige de candidatos a desincompatibilização de cargos políticos seis meses antes do pleito. Entre os dirigentes de autarquias, Marcos Traad, do PSDB, diretor-geral do Detran, também já anunciou que vai deixar o cargo que ocupa desde 2011 para sair candidato a deputado estadual.

O diretor da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina, Luiz Henrique Dividino também pediu exoneração, assim como o presidente da Comec, a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba, Omar Akel, que segue para a presidência da Agepar, a Agência Reguladora do Paraná.

Quem estava no cargo era o ex-prefeito de Guarapuava e ex-deputado federal Cesar Silvestre, que saiu no mês passado. Os atuais secretários que são deputados estaduais, Artagão Júnior e Douglas Fabrício, devem retomar os mandatos na Assembleia. Com isso, os deputados suplentes que ocupam as cadeiras hoje, Cristina Silvestri, do PPS, e Stephanes Júnior, do PSB, perdem a suplência.

Com a saída da Casa Civil e retorno de Valdir Rossoni (BSDB) a Brasília, quem perde a cadeira é o deputado federal Reinhold Stephanes, do PSD.

Portal Guaíra com informações do Bem Paraná


CLINICA SALUTAR