ad

[dropcap color=”#dd3333″]C[/dropcap]ristiana Brittes e sua filha, Allana, podem deixar a prisão em breve. Acusadas de envolvimento na morte do jogador Daniel Corrêa Freitas, de 24 anos, as duas, que são defendidas pelo advogado Claudio Dalledone Filho, entraram com um novo pedido de habeas corpus e a expectativa é que uma decisão seja promulgada até o final deste mês.

Anteriormente as duas já haviam tido dois pedidos de soltura negados pela 1ª Vara Criminal de São José dos Pinhais. Esse, porém, é o primeiro pedido de habeas corpus junto ao Tribunal de Justiça, pedido este que está em segunda instância e será julgado pela Primeira Turma Criminal do TJ-PR.

Entre os argumentos apresentados pela defesa estão o fato de as duas serem rés primárias e não terem mais como interferir na investigação, uma vez que o inquérito já foi concluído. Além disso, Cristiana também tem uma filha de 11 anos que está com os avós maternos.

Ao todo, sete pessoas deverão ser denunciadas pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) por envolvimento no caso Daniel. Cinco dos acusados responderão por homicídio qualificado, fraude processual (por terem mentido em depoimento) e ocultação de cadáver. Já o empresário Edson Brittes Júnior, marido de Cristiana e pai de Allana, responderá por corrupção de menor e coação de testemunhas. A esposa, por sua vez, responde por homicídio qualificado por motivo torpo, uma vez que não impediu o crime e apenas pediu para que não matassem o jogador dentro de casa, segundo depoimentos de testemunhas. Por fim, Allana responderá por coação no curso do processo, fraude processual e corrupção de menor.

Portal Guaíra com informações do Bem Paraná


CLINICA SALUTAR