ad

[dropcap color=”#dd9933″]2[/dropcap]018 ficou para trás, mas muitos frutos que foram plantados no ano que passou começa a ser colhido daqui pra frente.

O trabalho da Secretaria de Saúde via departamento da Vigilância Sanitária em prol da conscientização dos cuidados com os animais, realizado no decorrer do segundo semestre de 2018, é prova disso. Diante do cenário que a vigilância vinha observando, sobre os maus tratos aos animais, implementaram um trabalho na rede municipal e privada de ensino, de forma lúdica para tentar conter as denúncias de maus tratos e abandono.

Natália Gabriela Groff Dillmann, agente sanitária, aceitou o desafio, e durante meses, interpretou a personagem Babalu. A história da charmosa cadelinha Babalu encantou as crianças da rede pública e privada do ensino fundamental com seu carisma. Foram mais de 3.500 crianças impactadas com o teatro. Babalu contava sua história desde o nascimento, onde mostrava o olhar dela em relação aos humanos. “Nasci linda, filhote fofo, que todo mundo queria pegar no colo, mas depois eu cresci e parecia que eu tinha perdido a graça para os meus donos, tanto que não hesitaram em me abandonar. Passei fome, frio, e muito muito medo na rua, quase fui atropelada, causei acidentes, tudo porque simplesmente me abandonaram”, contava Babalu para as crianças.

Maycon Douglas de Lima, agente sanitário e membro da equipe do trabalho dos cuidados com animais, também enfatiza o fator responsabilidade e diz que esse foi o primeiro passo que a Vigilância deu visando a prevenção dos problemas o ocasionados por maus tratos e abandono que acabam impactando no sistema de saúde.

Julio Juvenal, coordenador da Vigilância Sanitária, salienta a importância da ação. “É comum recebermos denúncia de animais que ficam presos o tempo todo, privados de uma alimentação adequada, sem vacinação, entre outros problemas. Com o teatro esperamos que as pessoas se conscientizem, que ter uma animal exige cuidados específicos, e que quando isso não ocorre, temos um problema. Queríamos “acender uma luz”, “olha existe um problema “, “precisamos cuidar mais dos nossos animais”, para que num futuro próximo possamos mensurar uma realidade diferente da atual.”

Natália diz que interpretar Babalu foi muito bom, “Levar o conhecimento de forma lúdica, utilizando essa porta de entrada das famílias guairenses, por meio das escolas, é super importante, gera um resultado rápido e também nos permite ouvir, se aproximar da realidade das pessoas. É comum, as crianças se abrirem com a Babalu, dizendo que o pai ou a mãe deram o cachorro ou abandonaram porque os animal dava muito trabalho. Ou então que fulano ou ciclano batia no animal ou até mesmo que depois da Babalu, ele aprendeu que tem que cuidar melhor do seu bichinho de estimação. Por meio dessas conversas pude ver que fizemos um trabalho necessário que isso vai minimizar o sofrimento de animais e gerar uma conscientização sobre a responsabilidade que se assume ao ter um animal, que eles não descartáveis, e que uma vez com eles, é necessário dar carinho, abrigo, alimento e cuidados de higiene e saúde”, explica a agente.

Marcos Rigolon, Secretário de Saúde, diz que mais ações como estas estão previstas no planejamento de 2019. “Além é claro de gerar uma conscientização do cuidado necessário ao animal, temos o objetivo de minimizar problemas com a falta de vacinação ou com acidentes ocasionados por bichos abandonados”, explica o secretário.

Portal Guaíra via Assessoria


CLINICA SALUTAR